De onde surgiu o ESG?

Sigla que tem ganhado o mercado financeiro e pautado a atuação corporativa da atualidade surgiu há mais de uma década
ESG: sigla para environmental, social and governance foi criada há 15 anos pelo Pacto Global da ONU (Kazuend/Unsplash)
ESG: sigla para environmental, social and governance foi criada há 15 anos pelo Pacto Global da ONU (Kazuend/Unsplash)
Por Maria Clara DiasPublicado em 18/03/2021 09:00 | Última atualização em 19/05/2021 16:08Tempo de Leitura: 4 min de leitura

A preocupação crescente do mercado em estar em concordância com o meio ambiente e sociedade tem dado cada vez mais visibilidade ao termo ESG.

O que é ESG

ESG é a abreviação em inglês de environmental, social and governance, o que se refere à adoção de critérios ambientais, sociais e de governança. O termo tem feito cada vez mais parte da agenda estratégica de companhias de diferentes setores como base para a tomada de decisões financeiras e de investimentos.

A partir da premissa ESG, outros termos também ficam em evidência, como o capitalismo de stakeholder, modelo de negócio que prioriza todas as partes interessadas ao invés do lucro exclusivamente.

Surgimento do ESG

Apesar de ter ganhado notoriedade nos últimos anos, a origem da sigla ESG remete há mais de uma década.

O termo foi cunhado em 2004 em uma publicação pioneira do Banco Mundial em parceria com o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e instituições financeiras de 9 países, chamada Who Cares Wins (Ganha quem se importa).

O documento é resultado de uma provocação do então secretário-geral da ONU, Kofi Annan, a 50 CEOs de grandes instituições financeiras do mundo. A proposta era obter respostas dos bancos sobre como integrar os fatores ESG ao mercado de capitais.

A publicação lançada há 15 anos estabeleceu as bases do investimento sustentável, que hoje bate à porta do mercado em caráter de urgência. Até 2025, 57% dos ativos na Europa estarão em fundos que consideram os critérios ESG, segundo um relatório da consultoria PwC.

Assine a newsletter Exame.ESG e descubra como a sustentabilidade empresarial impacta diretamente a performance de seus investimentos

Por que adotar princípios ESG

Do ponto de vista financeiro, a indústria ESG também revela um potencial em ascensão. Os fundos com premissas socioambientais já atingiram a marca de 1 trilhão de dólares.

O montante foi alcançado em 2020, ano em que os fundos ESG cresceram quase o dobro do restante do mercado, à medida em que crescia o interesse por investimentos de menor impacto e maior resiliência, de acordo com levantamento da Morningstar. A mesma pesquisa da PwC sugere que 77% dos investidores irão abandonar produtos fora da ordem ESG até 2022.

A onda que atinge primeiro a Europa e os Estados Unidos também já chegou ao Brasil, ainda que em menor escala. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), os fundos brasileiros que seguem os padrões de sustentabilidade e governança dobraram de tamanho no último ano e chegam a 1 bilhão de reais.

O contexto atual também dá poder ao consumidor como nunca antes. Compradores podem resolver abraçar ou abandonar velhas premissas que baseavam suas decisões de compra por produtos que não consideravam o impacto social em comunidades e que contribuem com o esgotamento de recursos naturais e com as mudanças climáticas.

O amplo conceito de propósito e engajamento social tem ganhado novos traços com a pandemia, e influenciado cada vez mais os consumidores a escolherem marcas que apoiem causas e tenham direcionamentos de menor impacto.

Como acompanhar tendências em ESG

Para ajudar o público a estar por dentro das empresas ESG e como investir nelas, a EXAME Invest Pro dispõe de uma assinatura de análise focada inteiramente em meio ambiente, social e governança: ESG Invest Pro.

Não é possível mais separar os valores de uma empresa do quanto ela vale no mercado. Afinal, companhias que prezam pelo bem da natureza, por exemplo, têm maiores lucros. Assim, a proposta da assinatura é ajudar internautas a encontrarem empresas que têm princípios iguais aos seus e que podem trazer grandes retornos.

Além de ter 10 dias grátis para testar a assinatura, inscritos têm acesso a:

  • Manual ESG: tudo que você precisa saber para entender o que é ESG e os pontos mais importantes para fazer uma análise de uma empresa ESG;
  • Relatórios mensais: todo mês você recebe um relatório com análises de empresas brasileiras e internacionais de alto padrão ESG;
  • Live semanal: toda semana você participa de um papo com gestores de empresas que estão promovendo a transformação.

Podcast de ESG exclusivo

A EXAME apresenta o podcast semanal "ESG de A a Z", em que a cada programa é apresentada uma conversa com as principais lideranças de ESG do Brasil. São discutidos os desafios em direção a uma economia mais justa e ambientalmente correta, sem abrir mão da lucratividade.

Entre os últimos temas estão carros elétricos, liderença feminina, o futuro da moda e os planos da empresária Luiza Trajano ao país.

Ouça abaixo:

Veja Também

Renato Krausz: o ESG num mundo com febre
Um conteúdo Bússola
Há 16 horas • 3 min de leitura

Renato Krausz: o ESG num mundo com febre

ESG: o futuro da moda é circular
Um conteúdo Bússola
Há um dia • 7 min de leitura

ESG: o futuro da moda é circular

Agritechs e ESG: A revolução verde do século 21
Um conteúdo Bússola
Há 2 dias • 7 min de leitura

Agritechs e ESG: A revolução verde do século 21

ESG e propósito: por que e para quem mudar o mundo
Um conteúdo Bússola
Há 2 dias • 3 min de leitura

ESG e propósito: por que e para quem mudar o mundo