• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

Cerca de 20% dos alimentos são desperdiçados no mundo, diz ONU

Quase um bilhão de toneladas de alimentos é desperdiçado a cada ano; fenônemo atinge todos os países do mundo
Desperdício: segundo a ONU, para cada 121 kg de alimentos desperdiçados a cada ano, 74 kg são desperdiçados no nível doméstico (Thinkstock/Thinkstock)
Desperdício: segundo a ONU, para cada 121 kg de alimentos desperdiçados a cada ano, 74 kg são desperdiçados no nível doméstico (Thinkstock/Thinkstock)
Por AFPPublicado em 04/03/2021 13:50 | Última atualização em 04/03/2021 13:50Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Quase um bilhão de toneladas de alimentos é desperdiçado a cada ano no mundo, quase 20% dos alimentos à disposição dos habitantes do globo, segundo relatório divulgado nesta quinta-feira (4) pela ONU.

"O problema é enorme. É custoso do ponto de vista ambiental, social e econômico", declarou à AFP Richard Swannel, diretor de desenvolvimento da ONG britânica Wrap, co-autor do relatório sobre o índice de desperdício de alimentos, publicado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

De acordo com seus autores, "o relatório apresenta a coleta, análise e modelagem mais abrangente de dados de resíduos alimentares até hoje". Os dados (para o ano de 2019) foram coletados de 54 países, desenvolvidos e de baixa renda, sobre varejo, restaurantes e residências.

Resultado das compilações, então modeladas em escala global: 931 milhões de toneladas de alimentos jogados fora por ano (o relatório leva em conta as partes comestíveis e não - ossos, cascas).

E ao contrário da crença popular, esses dados mostram que o fenômeno atinge todos os países, independente de seus níveis de renda, ainda que, segundo a ONU, cerca de 700 milhões de pessoas no mundo passem fome e que três bilhões não tenham acesso a alimentos saudáveis, para uma população mundial estimada em 7,8 bilhões.

"Até o momento presente, o desperdício de alimentos tem sido visto como um problema para os países ricos", comentou à AFP a co-autora do PNUMA Clementine O'Connor. "Mas nosso relatório mostra que em todos os países que o mediram, o lixo doméstico é um problema"

Para 121 kg de alimentos desperdiçados a cada ano por habitante da Terra, 74 kg - bem mais da metade - são desperdiçados no nível doméstico.

 

- Consertar o sistema -
Em termos de percentual do total disponível aos consumidores, 11% são jogados fora em domicílio, 5% nos restaurantes e 2% no varejo.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), por sua vez, elabora um relatório sobre as “perdas” alimentares, medidas ao nível da produção e distribuição agrícola.

De acordo com esses números, cerca de 14% dos alimentos produzidos no mundo são perdidos antes mesmo de chegar ao mercado, totalizando cerca de 400 bilhões de dólares por ano, aproximadamente o PIB da Áustria.

"Se o desperdício e a perda de alimentos fossem um país, seria o terceiro maior emissor de gases de efeito estufa do mundo", observa Richard Swannel.

"Temos que consertar o sistema alimentar se quisermos enfrentar a mudança climática, e uma das prioridades é lidar com o lixo".

Os autores do estudo desta quinta destacam que os alimentos não devem, sobretudo, acabar em aterros, onde não são valorizados e onde seu processo de decomposição emite metano, um poderoso gás de efeito estufa.

Um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU prevê a redução pela metade do desperdício de alimentos dos consumidores e no varejo até 2030.

As Nações Unidas também devem organizar no outono a primeira "cúpula sobre sistemas alimentares", voltada para modos de produção e consumo mais "saudáveis, sustentáveis e equitativos".