ESG
Acompanhe:

B2W aposta em tuc-tucs elétricos para acelerar entregas nas capitais

A dona das marcas Americanas e Submarino investiu em uma frota de 90 tuc-tucs elétricos para minimizar o impacto das emissões de carbono do delivery

 (B2W/Divulgação)

(B2W/Divulgação)

C
Carolina Ingizza

13 de abril de 2021, 16h37

A B2W, dona das marcas Lojas Americanas, Submarino e Shoptime, divulgou nesta segunda-feira, 29, uma saída inusitada para ganhar agilidade nas entregas e diminuir o impacto no meio ambiente. A empresa está investindo em uma frota elétrica de tuc-tucs para realizar as entregas de produtos nas capitais do Sul, Sudeste e Nordeste do país.

Os veículos da B2W são inspirados nos populares triciclos indianos, usados para transportar passageiros em meio ao caótico trânsito do país. Por aqui, os tuc-tucs elétricos vão ter a missão de transportar de 240 a 600 quilos de mercadoria por vez.

"O tuc-tuc elétrico é um meio eficiente de deslocamento nos centros urbanos e tem a vantagem, em relação às bicicletas, de oferecer maior capacidade de carga. O serviço permite entregarmos mais rapidamente e itens de maior volume, ao mesmo tempo que reduz a emissão de CO2 no meio ambiente", afirma Welington Souza, diretor-geral da LET’S — plataforma de gestão compartilhada dos ativos de logística e distribuição da Americanas e B2W.

A empresa testou os tuc-tucs na cidade de São Paulo nos últimos meses, principalmente para as entregas last mile — que levam o produto até seu destino final. Para isso, foi preciso treinar os motoristas, já que os tuc-tucs, diferente das bicicletas, demandam habilitação. Atualmente há nove veículos elétricos em operação, com diferentes capacidades de carga.

Além da eficiência de deslocamento, a nova frota evita as emissões de gases de efeito estufa. A expectativa é que com os tuc-tucs elétricos a frota da B2W deixe de emitir cerca de 3 toneladas de gás carbônico na atmosfera por mês. A iniciativa faz parte da estratégia de ESG da companhia para se adequar aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

No fim de 2020, a B2W tinha uma base de clientes ativos de 21,4 milhões, 5,4 milhões a mais do que um ano antes, com várias iniciativas para ampliar a prateleira de produtos e criar mais recorrência, incluindo com a compra do aplicativo de delivery Supermercado Now. Neste ano, a empresa divulgou que pretende ampliar sua atuação no segmento de entrega de alimentos.