Um conteúdo Esfera Brasil

Congresso: mais jovem deputado eleito no Brasil atuará por mercado de carbono

Ativista e vereador em Manaus, Amom Mandel, 21, teve mais de 288 mil votos e quer defender pautas relacionadas à economia verde
Amom Mandel, 21, deputado federal eleito pelo Amazonas, em evento da Esfera Brasil (Iara Morselli/Esfera Brasil/Divulgação)
Amom Mandel, 21, deputado federal eleito pelo Amazonas, em evento da Esfera Brasil (Iara Morselli/Esfera Brasil/Divulgação)
E
Esfera BrasilPublicado em 10/11/2022 às 10:30.

Aos 21 anos, Amom Mandel (Cidadania-AM) é o deputado federal mais jovem eleito no país, tendo conquistado mais de 288 mil votos no pleito de outubro. Seu início na política, no entanto, começou há dois anos, quando se elegeu vereador de Manaus, onde vive, aos 19 anos.

Estudante de direito e administração pública, Mandel é ativista ambiental e diz à Esfera Brasil que irá defender pautas ligadas à economia verde, como o mercado de crédito de carbono, e o Estado do Amazonas no Congresso.

“Não é o modelo de incentivo, de desoneração fiscal, como é o caso da Zona Franca de Manaus, que atrasa o resto do Brasil, mas sim a falta de investimentos para que a gente possa diversificar a nossa matriz econômica”, afirma. “Não adianta simplesmente abandonar a Zona Franca, como muitas vezes fazem, sem, no entanto, gerar empregos

e investir também num Amazonas mais forte, para fazer valer a lei no nosso interior.”

Confira a entrevista:

Esfera Brasil: Por que você decidiu seguir carreira política tão cedo? A presença de outros jovens deputados eleitos na Câmara para o próximo ano deve trazer um frescor e pautas novas para o debate?

Amom Mandel: Costumo dizer que a idade é apenas um número, mas a eleição foi uma grande surpresa para mim. Eu fui o deputado federal proporcionalmente mais votado do Brasil. Eu tive 24, 25% dos votos na capital do Amazonas, e quero utilizar essa influência para fazer com que outros deputados entendam a importância do nosso Estado perante o restante do Brasil.

Quero me aliar aos jovens deputados eleitos e a qualquer outro parlamentar que tenha o mesmo pensamento que eu: olhar para o Estado do Amazonas e para o Brasil com seriedade e competência técnica na hora de escolher os integrantes do gabinete, da criação e execução de políticas que nós iremos legislar.

Esfera Brasil: Quais serão suas bandeiras e prioridades no Legislativo a partir de 2023?

Amom Mandel: O mundo vive uma emergência climática, e o Amazonas é o centro das atenções por abrigar a maior floresta do mundo. Hoje, nós vivemos um dilema, em meio à disputa entre a Rússia e a Europa, em razão da guerra da Ucrânia. Os países europeus estão começando reativar as usinas termelétricas, queimando mais combustível fóssil. Com isso, devem comprar mais crédito de carbono. O Amazonas é o lugar ideal para que a gente desenvolva esse mercado. No entanto, atualmente, o maior mercado de crédito de carbono que temos no mundo fica na China, o que é um absurdo.

Há uma certa desconfiança por parte da comunidade internacional em relação ao Brasil. Como representante do Amazonas, posso dizer que não é uma mera impressão, nosso Estado precisa de um choque de realidade e de leis.

Os recursos que são enviados, por exemplo, pelo Governo Federal para o Governo Estadual e para as respectivas prefeituras desenvolverem as políticas públicas na área da segurança e do meio ambiente, precisam ser efetivados. Como representante popular do Amazonas vou tornar isso a minha prioridade. Além disso, irei trabalhar para o desenvolvimento e o incentivo ao mercado de crédito de carbono e fazer valer a lei no nosso Estado.

O Amazonas é um Estado que tem dimensões continentais onde nem os próprios representantes conseguem visitar  todos os municípios, e a polícia ambiental e os órgãos de controle em geral têm dificuldade grande em alcançar todos os municípios.