Economia

Serasa: vendas para Dia dos Namorados crescem 8,6%

Segundo a consultoria, compras de última hora aumentaram 4,9%

A alta nas vendas do Dia dos Namorados foi menor em 2011 (Getty Images)

A alta nas vendas do Dia dos Namorados foi menor em 2011 (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 13 de junho de 2011 às 16h14.

São Paulo - As vendas para o Dia dos Namorados aumentaram 8,6% na semana (de 6 a 12 de junho) na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio - Dia dos Namorados 2011, divulgado hoje. No ano passado, na mesma data, houve expansão de 10,9% das vendas.

De acordo com a Serasa, as compras de última hora (de 10 a 12 de junho) cresceram 4,9% em relação ao fim de semana correspondente do ano passado (11 a 13 de junho). Em 2010, as vendas de última hora haviam crescido menos: 2,9%.

Considerando apenas a capital paulista, houve crescimento de 6% nas vendas na semana do Dia dos Namorados e de 4,8% no fim de semana, em relação aos mesmos períodos de 2010. No ano passado, as altas registradas haviam sido de 6,5% na semana e de 12,7% no fim de semana.

Em nota, a Serasa Experian diz que o Dia dos Namorados num domingo estimulou as vendas em todo o País e, além disso, o clima frio no Sul e no Sudeste contribuiu para as vendas de confecções.

Embora o crescimento tenha sido menor em 2011, na comparação com igual data de 2010, "esta base de comparação é elevada, o que dá maior dimensão para os resultados de 2011", diz a Serasa Experian. "Com o bom Dia dos Namorados em 2011, o varejo encerra o primeiro semestre do ano com grandes resultados, ante um quadro de desaceleração econômica", avalia a entidade.

Acompanhe tudo sobre:Comérciodia-dos-namoradosEmpresasempresas-de-tecnologiaExperianSerasa ExperianVarejo

Mais de Economia

Governo Milei anuncia venda de dólares no câmbio paralelo argentino

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Mais na Exame