Economia

Salário mínimo 2025: quanto será? Veja previsão

Governo já fez sua proposta para o salário mínimo de 2025 com aumento de 6,36%

 (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

(Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 5 de julho de 2024 às 18h26.

Última atualização em 5 de julho de 2024 às 18h39.

O governo federal propôs um salário mínimo de R$ 1.501,94 para o ano de 2025. A estimativa foi feita no Projeto de Lei Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2025, enviado em abril deste ano e adiantado pela EXAME

A correção considera a política de valorização do salário mínimo, composta pela soma de dois índices, o Índice Nacional de Preço dos Consumidores (INPC) dos últimos 12 meses até novembro e o produto interno bruto (PIB) consolidado de dois anos anteriores, que totalizou 2,9% em 2023, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Atualmente, o valor do salário é R$ 1.412. A votação da LDO no Congresso deve ficar para depois do recesso parlamentar. A previsão do presidente da CMO, Julio Arcoverde, é que aconteça no final de agosto.

Qual será o valor do salário mínimo em 2025?

A previsão do valor do salário mínimo de 2025 é de R$ 1.501,94 e, caso aprovada no orçamento do próximo ano, representaria uma alta de 6,36% na comparação anual.

Como é feito o cálculo do salário mínimo?

O reajuste anual do salário mínimo é composto pela soma do:

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 12 meses até novembro;
  • Índice de crescimento real do produto interno bruto (PIB) dos dois anos anteriores.

No entanto, se o PIB dos dois anos anteriores apresentar um desempenho negativo, o reajuste será aplicado somente conforme a inflação.

Essa política valerá até que outra lei a modifique.

Acompanhe tudo sobre:Salário mínimo

Mais de Economia

Novos dados aumentam confiança do Fed em desaceleração da inflação, diz Powell

Lula pede solução de contradições de europeus para acordo com Mercosul

Crescimento econômico da China desaponta e pressiona Xi Jinping

Prévia do PIB: IBC-Br sobe 0,25% em maio, após estabilidade em abril

Mais na Exame