Repom: Preço do frete cai 3,61% em outubro, terceira queda consecutiva

No início de outubro, a ANTT divulgou a nova tabela de preços mínimos dos fretes rodoviários, que passou a contar com reduções de 2,89% a 3,68%, a depender do tipo de tabela de transporte
 (Pixabay/Reprodução)
(Pixabay/Reprodução)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 18/11/2022 às 17:23.

O preço do frete caiu em outubro pelo terceiro mês consecutivo, com o Índice de Frete Repom (IFR) registrando média de R$ 7,20, uma queda de 3,61% em relação a setembro. No início de outubro, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) divulgou a nova tabela de preços mínimos dos fretes rodoviários, que passou a contar com reduções de 2,89% a 3,68%, a depender do tipo de tabela de transporte.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta.

A queda acompanha a redução de 5,80% para o litro do diesel vendido nas refinarias da Petrobras, que passou a valer a partir de 20 de setembro. A correção na tabela de frete segue a definição da Lei 14.445/2022, que determina que o reajuste ocorra sempre que o valor do diesel oscilar mais de 5% para menos ou para mais.

"Em outubro, o preço médio do litro do diesel registrou redução de pouco mais de 2% em relação a setembro, e fechou o mês a R$ 6 97 o comum, e a R$ 7,06 o S-10, de acordo como Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Porém, no comparativo com outubro de 2021, em que o preço médio do frete estava custando em média R$ 4,91, o aumento no valor chegou a 47% em um ano", disse Vinicios Fernandes, diretor da Repom, marca da Edenred Brasil e especializada em soluções tecnológicas de gestão e pagamento de despesas para o mercado de transporte rodoviário de carga.

O IFR é um índice do preço médio do frete e sua composição, levantado com base nas oito milhões de transações anuais de frete e vale-pedágio administradas pela Repom, empresa do segmento de pagamento de frete e vale-pedágio, com mais de 1 milhão de caminhoneiros atendidos em todo o Brasil.

LEIA MAIS: Mercado não é monstro ou entidade, é máquina que aloca recursos, diz Campos Neto