Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

PIB da zona do euro cai 0,6% no 1º trimestre e bloco volta à recessão

A contração da zona do euro no primeiro trimestre foi causada principalmente pela queda de 1,7% da Alemanha, maior economia do bloco

A economia da zona do euro mergulhou em uma segunda recessão técnica após contração menor do que o esperado no primeiro trimestre, mas economistas dizem que ela agora está firmemente estabelecida num caminho de recuperação, uma vez que as restrições relacionadas à pandemia foram suspensas em meio a campanhas de vacinação.

O escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat, disse que o Produto Interno Bruto dos 19 países que compartilham o euro recuou 0,6% no comparativo trimestral, uma queda de 1,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Isso deixa a zona da moeda única em sua segunda recessão técnica em 12 meses, após uma queda de 0,7% do PIB trimestral no último trimestre de 2020. Economistas consultados pela Reuters esperavam uma queda trimestral de 0,8% e uma perda anual de 2,0%.

"Um pouco melhor do que o esperado, mas ainda assim uma recessão técnica ... com o PIB caindo novamente no 1° tri", disse Bert Colijn, economista sênior para a zona do euro do banco ING.

"A resiliência implícita mostra que a economia está pronta para seu (um pouco atrasado) início da recuperação da pandemia, o que significa que o quadro de uma economia sem brilho na zona do euro deve mudar rapidamente", disse ele.

A contração da zona do euro no primeiro trimestre foi causada principalmente por uma queda trimestral de 1,7% em sua maior economia, a Alemanha, embora tenha sido compensada pelo crescimento trimestral de 0,4% na segunda maior, a França.

"A recessão é coisa do passado. Com vacinações progressivas e uma propagação sazonalmente mais lenta do coronavírus, os números de infecção devem continuar a cair nas próximas semanas", disse Christoph Weil, economista sênior do Commerzbank.

Separadamente, o Eurostat estima que os preços ao consumidor da zona do euro subiram 0,6% no comparativo mensal em abril, um ganho anual de 1,6%, conforme esperado por economistas consultados pela Reuters.

O Eurostat também disse que o desemprego na zona do euro caiu em março para 8,1% da força de trabalho, ou 13,166 milhões de pessoas, ante 8,2% revisados para baixo em fevereiro, 13,375 milhões de pessoas, contrariando expectativas de um aumento para 8,3%.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também