Economia

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem mas dispensas aumentam

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 38 mil, para 326 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 2 de outubro

 (Mike Blake/File Photo/File Photo/Reuters)

(Mike Blake/File Photo/File Photo/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 7 de outubro de 2021 às 10h22.

Última atualização em 7 de outubro de 2021 às 15h52.

O número de pessoas que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caiu na semana passada, mas as dispensas aumentaram ante uma mínima de 24 anos em setembro em parte porque os hospitais demitiram funcionários não vacinados e a escassez de mão de obra forçou o fechamento de instalações.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 38 mil, para 326 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 2 de outubro, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Economistas consultados pela Reuters projetavam 348 mil pedidos para a última semana.

Mais informações em instantes.

Acompanhe tudo sobre:economia-internacionalEstados Unidos (EUA)Seguro-desemprego

Mais de Economia

FGV terá indicadores para medir riscos de corrupção em empresas de saúde

“Governo está metendo a mão, querendo taxar tudo e com juros desse jeito”, critica Rubens Ometto

Fim de compensação de PIS/Cofins pode criar calote de R$ 29,2 bi, semelhante ao dos precatórios

Dirigente do banco central europeu fala que corte foi decisão essencial

Mais na Exame