Economia

Maioria das famílias de classe média nos EUA afirma ter dificuldades financeiras, diz pesquisa

Apesar dos bons resultados econômicos americanos, classe média americana tem sofrido com altos custos de vida

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 5 de junho de 2024 às 07h41.

Em contraste com a aparente robustez da economia dos Estados Unidos, com mercados de trabalho, habitação e ações em alta, além de um crescimento do PIB sólido, uma pesquisa recente revela um retrato preocupante: a insegurança financeira assombra a maioria das famílias da classe média americana, sem perspectiva de melhora no horizonte.

A pesquisa, encomendada pela National True Cost of Living Coalition, divulgada pela Bloomberg, e realizada com 2.500 adultos, apresenta resultados surpreendentes que desafiam a narrativa de prosperidade generalizada:

65% das pessoas que ganham mais de 200% do nível federal de pobreza (equivalente a US$ 60.000 (R$ 317 mil) para uma família de quatro pessoas) estão lutando para pagar suas contas. Essa realidade contradiz a definição tradicional de classe média, evidenciando que mesmo com renda acima do dobro do mínimo necessário para subsistência, famílias se encontram em situação de aperto financeiro.

Insegurança financeira

Um quarto dos americanos com renda superior a cinco vezes o nível federal de pobreza (mais de US$ 150.000 (R$ 793 mil) para uma família de quatro) se preocupa em pagar suas contas. Essa estatística chocante demonstra que a insegurança financeira não se limita aos estratos mais baixos da renda, mas atinge também aqueles que, em teoria, deveriam ter maior estabilidade.

Quase 6 em cada 10 entrevistados, independentemente da renda, relataram estar enfrentando dificuldades financeiras no momento. Essa constatação revela que a insegurança financeira se tornou um problema transversal, afetando pessoas de diferentes origens e níveis de renda.

Diversos fatores contribuem para a situação precária das famílias da classe média americana:

Aumento das taxas de juros: O rápido aumento das taxas de juros torna os pagamentos de dívidas mais caros, pressionando o orçamento familiar. Famílias com empréstimos estudantis, hipotecas ou cartões de crédito se veem sobrecarregadas com prestações mais altas, comprometendo a renda disponível para outras necessidades.

Alto nível de endividamento: O endividamento excessivo é um problema crônico que afeta a maioria das famílias americanas. Dívidas em cartão de crédito, empréstimos pessoais e automotivos consomem uma parcela significativa da renda familiar, limitando a capacidade de poupança e investimentos.

Custo de vida elevado: O custo de vida, especialmente em grandes centros urbanos, continua subindo a um ritmo acelerado. Despesas com moradia, alimentação, transporte e saúde pressionam o orçamento familiar, dificultando o controle das finanças e a realização de sonhos.

Falta de poupança: Uma parcela significativa da população não possui poupança suficiente para lidar com emergências financeiras ou imprevistos. A falta de planejamento financeiro e a necessidade de utilizar a renda disponível para pagar as contas do dia a dia impedem a construção de uma reserva financeira para situações adversas.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Classe médiaFinanças

Mais de Economia

Governo e Senado acertam ajustes do PL para substituir MP do PIS/Cofins

Após enchentes, Rio Grande do Sul perde 25% da arrecadação no ICMS

FMI prevê contração de 3,5% da economia argentina, mas menor inflação em 2024

Itaipu inaugura unidade de produção de petróleo sintético com energia limpa

Mais na Exame