Governo melhora projeção de déficit em 2020 a R$ 844,574 bi

A perspectiva agora é que o país feche 2020 com um déficit primário equivalente a 11,7% do PIB, após esforços para conter crise do coronavírus

O Ministério da Economia melhorou nesta sexta-feira sua estimativa para o déficit primário do governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência) a 844,574 bilhões de reais em 2020, diminuição de 16,429 bilhões de reais ante o rombo calculado antes, conforme relatório de receitas e despesas do quarto bimestre.

Com isso, o número –que ainda assim será recorde em função dos gastos extraordinários com o enfrentamento da pandemia de coronavírus– ficou em linha com o buraco de 844,8 bilhões de reais visto por agentes de mercado para o ano, segundo boletim Prisma Fiscal divulgado pela pasta na véspera.

A perspectiva agora é que o país feche 2020 com um déficit primário equivalente a 11,7% do Produto Interno Bruto (PIB), com o déficit nominal, que inclui o pagamento de juros da dívida pública, em 14,9% do PIB.

Os cálculos levaram em conta uma projeção de queda do PIB de 4,5%, que foi atualizada pela Secretaria de Política Econômica nesta semana, frente contração de 4,7% considerada antes. No relatório anterior, divulgado em setembro, a expectativa era de um déficit de 861,002 bilhões de reais.

Por conta do estado de calamidade pública, o governo não precisará cumprir neste ano a meta de déficit primário, de 124,1 bilhões de reais.

Na comparação entre os dois documentos, o governo diminuiu as despesas primárias calculadas para o ano em 11,750 bilhões de reais, a 2,035 trilhões de reais.

Já a expectativa de receita líquida foi elevada em 4,679 bilhões de reais, a 1,190 trilhão de reais.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.