Fed teme contágio caso não haja acordo sobre Grécia

O banco central americano mostrou preocupação com a chance de falta de acordo na crise grega, que poderia contaminar a economia dos EUA

Washington - O Federal Reserve (Fed), banco central americano, mostrou preocupação com a possibilidade de uma falta de acordo na crise grega possa afundar os mercados na Europa e contaminar a economia dos Estados Unidos, revelaram as atas da reunião de junho publicadas nesta quarta-feira.

"Muitos participantes expressaram sua preocupação de que uma falta de acordo entre a Grécia e seus credores oficiais que resolva suas diferenças possa resultar em um impacto nos mercados financeiros da zona do euro, com possível contágio aos Estados Unidos", segundo o documento.

Só um dos dez membros do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve se mostrou a favor de elevar as taxas de juros em junho, e a maioria considerou que não se davam as condições que permitissem a primeira alta desde 2008.

Esse membro também se inclinou por esperar "mais uma ou duas reuniões" para anunciar a primeira alta das taxas de juros, próximas de zero desde o final de 2008.

A maioria dos membros do Comitê Aberto preferiu, na reunião de junho, não anunciar uma alta dos juros à espera que "o crescimento econômico seja mais sólido e as condições do mercado de trabalho estejam suficientemente estáveis para que a inflação se situe nos objetivos do Comitê".

O Fed espera anunciar uma alta de pelo menos 0,25 ponto antes do fim do ano, desde que os dados de desemprego se mantenham como até agora e os índices de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e da inflação melhorem.

No entanto, a incerteza externa preocupa mais o Fed, que acompanha atentamente as negociações entre a União Europeia e a Grécia para um acordo que evite que o país europeu caia na insolvência e seja condenado a abandonar o euro.

As atas indicam que alguns membros do Comitê de Mercado Aberto estão mais preocupados com a situação grega e não têm certeza se os credores vão alcançar um acordo que salve a economia grega.

Além disso, os chefes da política monetária americana também já estavam em junho preocupados com a situação econômica da China, onde as bolsas sofrem há três semanas com fortes quedas, o que levanta a preocupação de que a primeira economia asiática esteja se aproximando da explosão de uma bolha, que teria graves ramificações no mundo todo. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.