EUA vão comprar 30 milhões de barris de petróleo para reserva estratégica

Departamento de Energia disse que está trabalhando com o Congresso para aprovar a compra, que pode custar cerca de US$ 2 bilhões

Petróleo: medida americana visa ajudar os produtores domésticos da commodity (Foto/Thinkstock)

Petróleo: medida americana visa ajudar os produtores domésticos da commodity (Foto/Thinkstock)

R

Reuters

Publicado em 19 de março de 2020 às 16h01.

O Departamento de Energia dos Estados Unidos disse nesta quinta-feira que vai comprar 30 milhões de barris de petróleo para a Reserva Estratégica de Petróleo do país, em passo inicial para cumprir diretiva do presidente Donald Trump de que as reservas sejam preenchidas para ajudar produtores domésticos da commodity.

A reserva, em cavernas nas costas do Texas e da Louisiana, tem capacidade para 77 milhões de barris adicionais. A solicitação dos primeiros 30 milhões de barris está focada na compra de pequenos e médios produtores, disse o Departamento de Energia.

O Departamento de Energia comprará até 11,3 milhões de barris de petróleo tipo "sweet" e até 18,7 milhões de barris de petróleo "sour" bruto. A data de entrega é de 1º de maio a 30 de junho e as propostas devem chegar em 26 de março, informou o departamento.

Parte do financiamento para uma compra total de 77 milhões de barris teria de ser determinada por nova legislação.

O Departamento de Energia disse que está trabalhando com o Congresso para finalizar o financiamento para apoiar a compra completa, que pode custar cerca de 2 bilhões de dólares ou mais, dependendo dos preços.

O Departamento de Energia disse que a reserva pode receber até 685.000 barris por dia de petróleo bruto.

"Com sua extensa infraestrutura de armazenamento, oleoduto e marinha ao longo da Costa do Golfo, a SPR ajudará a aliviar as perturbações relacionadas ao petróleo em nossa economia", disse Steven Winberg, secretário assistente de energia fóssil do departamento.

Mais de Economia

Segurança no Brasil tem impacto no prêmio de risco, diz Campos Neto

Prates afirma que não há crise na Petrobras e que tem boa relação com Lula e Silveira

Demanda por diesel sobe 8,7% no 1º bimestre, mas deve perder força no semestre, diz EPE

Se incerteza continuar alta, BC tem de trabalhar no ritmo de cortes, afirma Campos Neto

Mais na Exame