Economia

Dirigente diz que se economia desacelerar, Fed cortará juros; se acelerar, terá que aumentar

Presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, não descarta elevações nos juros, caso a atividade volte a acelerar

Sede do Federal Reserve (Fed), em Washington (EUA) (Stefani Reynolds/Getty Images)

Sede do Federal Reserve (Fed), em Washington (EUA) (Stefani Reynolds/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 15 de maio de 2024 às 15h17.

Última atualização em 15 de maio de 2024 às 15h19.

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Minneapolis, Neel Kashkari, afirmou que pode haver corte nos juros nos Estados Unidos, caso a economia desacelere. Por outro lado, o dirigente, sem direito a voto nas decisões de política monetária deste ano, não descartou elevações nos juros, caso a atividade volte a acelerar.

As declarações foram dadas durante uma conferência em Bismarck, na Dakota do Norte. Segundo Kashkari, o foco do Fed neste momento está na demanda subjacente na economia, enquanto a oferta está equilibrada.

Na avaliação dele, não é possível saber ao certo agora o quanto de pressão de baixa a política monetária está impondo na atividade.

O presidente da distrital de Minneapolis do Fed afirmou que a economia americana está "mais resiliente do que eu esperava", neste momento. Além disso, ele comentou que está "particularmente focado" no setor imobiliário.

Kashkari ainda considerou que os preços do petróleo estabilizaram "de modo sustentável", sem choques econômicos consideráveis vindos das tensões no Oriente Médio.

Ao ser questionado sobre o quadro fiscal dos EUA, ele recordou que, conforme cresce a dívida do governo, podem subir também os custos de empréstimo no curto prazo, para que a inflação se mantenha na meta de 2%.

Acompanhe tudo sobre:Fed – Federal Reserve SystemEstados Unidos (EUA)

Mais de Economia

Tudo que está sendo feito em prol do RS não vai alterar trajetória fiscal do país, diz Durigan

O que são REITs - e como investir nesse tipo de fundo

Petrobras confirma que Conselho aprovou saída de Sergio Caetano Leite do cargo de diretor financeiro

Assembleia de SP aprova salário mínimo paulista de R$ 1.640; veja quem tem direito

Mais na Exame