Dilma mostra MP que muda ganho da poupança para 70% da Selic

Outros dois líderes de partidos no Congresso confirmaram que a medida valerá para todos os depósitos realizados a partir de sexta-feira

Brasília - O líder do governo na Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), confirmou à Reuters que a presidente Dilma Rousseff apresentou, durante reunião do Conselho Político nesta quinta-feira, proposta de medida provisória que altera o rendimento da poupança para 70 por cento da Selic -hoje em 9 por cento ao ano- toda vez que a taxa básica de juros ficar abaixo de 8,5 por cento ao ano.

Outros dois líderes de partidos no Congresso confirmaram à Reuters a informação e disseram que a medida valerá para todos os depósitos realizados a partir de sexta-feira.

"A MP vai dar um bom debate", afirmou Chinaglia, quando perguntado se o texto causaria "briga" no Congresso.

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), disse à Reuters depois da reunião com a presidente e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que o PMDB será a favor da medida. Ele considerou a proposta melhor do que a de se taxar com imposto de renda valores da poupança superiores a 50 mil reais, opção ventilada pelo governo anterior.

"Esta medida (apresentada nesta quinta) trata todo investidor de maneira igual", afirmou Calheiros.

Já o líder do PTB no Senado, Gim Argelo (DF), disse que seu partido irá avaliar a medida antes de se posicionar. "Estamos pensativos", disse ele minutos depois da reunião.

Segundo os parlamentares, a presidente abriu a reunião e, em seguida, deixou o ministro da Fazenda explicar os termos da medida provisória. Os políticos não chegaram a fazer ponderações sobre a medida, que vem em um ano eleitoral, se transformar em arma para a oposição.

Houve, segundo os relatos, diversos pedidos e sugestões para que as novas regras sejam bem explicadas à população, em especial de baixa renda, para que pequenos investidores entendam que não perderão em relação à inflação.

Ainda segundo Chinaglia, a medida mostra que o governo tem coragem de agir em prol da economia do país, sem se preocupar com efeitos eleitorais. "É uma medida corajosa do governo... Mostra que a presidente governa o país para o presente e para as próximas décadas", disse.

A Reuters informou mais cedo nesta quinta-feira que o governo apresentaria na reunião do Conselho Político uma MP que mudaria as regras da poupança: segundo o esboço do documento, quando a Selic estiver abaixo de 8,5 por cento, a poupança será remunerada pela Taxa Referencial (TR) mais 70 por cento da Selic. Quando a taxa básica estiver igual ou acima deste patamar, a regra atual de remuneração da aplicação -de TR mais 0,5 por cento ao mês- será mantida.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.