Economia

Crescimento econômico 'robusto' dos EUA melhora perspectiva mundial, afirma diretora do FMI

Economia dos Estados Unidos cresceu 2,5% no ano passado

FMI: órgão espera crescimento maior da economia mundial (Mahmoud Khaled/Getty Images)

FMI: órgão espera crescimento maior da economia mundial (Mahmoud Khaled/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 11 de abril de 2024 às 12h13.

O forte crescimento dos Estados Unidos tem ajudado a melhorar a perspectiva da economia mundial, embora persistam desafios, afirmou nesta quinta-feira, 11, a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI).

"O crescimento global está ligeiramente mais forte devido à atividade robusta nos Estados Unidos e em muitas economias de mercado emergentes", disse a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva.

A economia dos Estados Unidos cresceu 2,5% no ano passado, de acordo com dados oficiais, superando com folga outras economias avançadas.

"O consumo robusto dos lares, o investimento em negócios e a redução nos problemas das cadeias de suprimentos ajudaram", constatou Georgieva, acrescentando que "a inflação está caindo, de certa forma mais rápido do que o esperado".

Os comentários são feitos poucos dias antes do início das reuniões de líderes financeiros mundiais, organizadas pelo FMI e o Banco Mundial em Washington.

FMI espera crescimento maior da economia mundial

As declarações de Georgieva sugerem que, agora, o FMI espera um crescimento da economia mundial maior do que o previsto em janeiro, quando projetou um avanço de 3,1% para 2024 e 3,2% para 2025.

"É tentador respirar aliviado. Evitamos uma recessão global e um período de 'estagflação' (estagnação econômica com inflação) que alguns haviam previsto", afirmou. "Mas ainda há muitas coisas com as quais se preocupar", ponderou.

Entre os desafios, mencionou as tensões geopolíticas, que aumentam o risco de fragmentação da economia mundial, e os desafios da crescente dívida pública e de uma "desaceleração da produtividade".

Acompanhe tudo sobre:FMIEstados Unidos (EUA)PIB

Mais de Economia

Opinião: Hidrogênio para a Neoindustrialização

Prévia do PIB: IBC-Br fica estável e fecha abril com variação de 0,01%, abaixo da expectativa

Inflação ao consumidor na China continua em alta

Petrobras prevê perfurar novos poços do pré-sal em 2025 para garantir futuro da bacia de Campos

Mais na Exame