Economia

Cortar juro seria sinal importante, mas é prematuro, diz dirigente do Fed

Taxa básica de juros da economia dos EUA está em 2%, nível considerado neutro

Federal Reserve System é equivalente ao Banco Central brasileiro, e é responsável pela política monetária (Joshua Roberts/Reuters)

Federal Reserve System é equivalente ao Banco Central brasileiro, e é responsável pela política monetária (Joshua Roberts/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 21 de maio de 2019 às 21h04.

São Paulo — O presidente da distrital de St. Louis do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), James Bullard, afirmou nesta terça-feira que um corte de 0,25 ponto porcentual da taxa básica de juros mandaria um "sinal importante" ao mercado, mas ainda seria "prematuro" fazê-lo agora.

Em entrevista à Bloomberg TV, Bullard disse ainda que enxerga a taxa neutra de juros, que não estimula nem trava a economia, no nível de "em torno de 2%". "Então, estamos um pouco apertados agora", comentou.

À emissora, ele também apontou que a mais recente rodada de tarifas comerciais dos EUA sobre importações da China teria de perdurar por seis meses para impactar a formulação de políticas do Fed.

Bullard é um dos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Fed que tem direito a voto nas decisões de política monetária em 2019.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Fed – Federal Reserve SystemJuros

Mais de Economia

Governo avalia propostas para compensar desoneração da folha neste ano

Lula reclama de decisão do Banco Central sobre taxa de juros: ‘Uma pena que manteve’

Plano Real, 30 anos: Carolina Barros, do BC, e a jornada do Real ao Pix

Plano Real, 30 anos: dinheiro ainda é base de transações, mas 41% dos brasileiros preferem Pix

Mais na Exame