Banco central chinês inicia plano de contingência por brexit

O banco central do gigante asiático se comprometeu a utilizar sua política monetária para manter a liquidez do sistema financeiro

Pequim - O Banco Popular da China (banco central chinês) anunciou nesta sexta-feira que iniciou um "plano de contingência" para minimizar os efeitos na segunda economia mundial da saída do Reino Unido da União Europeia, após o referendo realizado nesta quinta-feira.

"Tomamos nota da reação dos mercados financeiros depois que fosse anunciado o resultado e pusemos em prática um plano de contingência", antecipou a autoridade monetária chinesa em comunicado.

O banco central do gigante asiático se comprometeu a utilizar sua política monetária para manter a liquidez do sistema financeiro "em volumes adequados e razoáveis" e preservar a estabilidade financeira.

O ente emissor chinês disse que "melhorará" seu regime cambial baseado no mercado para garantir que a taxa de câmbio de sua moeda, o iuane, se mantenha em taxas "basicamente estáveis e em um nível adaptativo e de equilíbrio".

Além disso, afirmou que "melhorará sua política de comunicação e sua coordenação" com os bancos centrais, as autoridades monetárias e as principais organizações financeiras internacionais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.