Playstations apreendidos na Ucrânia 'mineravam' FIFA 21, não criptomoedas

Autoridades desconfiavam que grupo, que usava US$ 250 mil por mês em energia furtada, estava minerando ether, mas objetivo era acumular FUTs, a moeda de FIFA 21
 (Security Service of Ukraine/Divulgação)
(Security Service of Ukraine/Divulgação)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 20/07/2021 15:00 | Última atualização em 20/07/2021 22:13Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Inicialmente, a suspeita das autoridades ucranianas era de uma operação clandestina de mineração de ether, a criptomoeda da rede Ethereum. Um imóvel que usava cerca de 250 mil dólares (1,25 milhão de reais) por mês em energia furtada foi invadido pelo Serviço de Segurança da Ucrânia e 3.800 videogames Playstation foram apreendidos. Mas, na verdade, eles estavam "minerando" FUT, as moedas virtuais do jogo FIFA 21 - que nada tem a ver com o mercado de criptoativos.

A informação foi divulgada pelo portal local Delo.ua, que mostrou que o objetivo do grupo era acumular FUTs, moeda utilizada para comprar ítens digitais do jogo FIFA 21, e então vendê-las no mercado secundário. Essas moedinhas do jogo de futebol mais famoso do mundo dos games custam 100 dólares (522 reais) por 1 milhão de unidades, se compradas dentro do jogo, de forma oficial. Mas elas também podem ser adquiridas no mercado paralelo, onde custam entre 45 e 70 dólares (entre 235 e 365 reais).

Um dos atrativos de FIFA 21 é o "Top Team", conjunto de cards especiais que permitem aos usuários jogar com grandes estrelas do futebol. Para comprar todos os jogadores do "Top Team", que inlui nomes como Pelé e Maradona, são necessários cerca de 100 milhões de FUTs - ou seja, comprando no mercado secundário, o equivalente a algo entre 4.500 e 7.500 dólares.

Também é possível obter FUTs de graça no jogo, completando tarefas específicas, vendendo jogadores e ganhando partidas. E era assim que o grupo preso na Ucrânia "minerava" esse ativo digital exclusivo do jogo da EA Sports. Com o uso de bots, os milhares de Playstations 4 jogavam uma partida atrás da outra, acumulando milhares de FUTs por hora.

Como a unidade de processamento gráfico (GPU) do Playstation 4 tem semelhanças técnicas com a Radeon RX 580, muito usada por mineradores de ether, as autoridades acreditavam terem descoberto a primeira operação de mineração de criptomoedas em larga escala com o uso de consoles de videogame. No entanto, apesar da possibilidade, o Playstation 4 tem um processador relativamente pequeno, e, especialmente na versão Slim como os que foram apreendidos, acaba sendo mais útil para quem quer jogar videogame - mesmo que com objetivos escusos.