Avaliada em US$ 3 bilhões, BlockFi recebe aporte de fundo que investiu no Nubank

Empresa de serviços financeiros com criptoativos capta US$ 350 milhões liderado por fundos renomados como DST Global, que já investiu no Rappi e no Nubank
 (BlockFi/Divulgação)
(BlockFi/Divulgação)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 12/03/2021 10:13 | Última atualização em 12/03/2021 10:13Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A BlockFi, uma das principais empresas de serviços financeiros com criptoativos do mundo, anunciou o aporte de 350 milhões de dólares em uma rodada de investimentos Série D que avaliou a companhia em 3 bilhões de dólares. O investimento milionário foi liderado por Bain Capital Ventures, Pomp Investments, Tiger Global, e parceiros do DST Global, fundo que já investiu em empresas como Rappi e Nubank.

“Menos de seis meses deopis da conclusão da nossa Série C, o bitcoin e outros ativos digitais assumiram um papel central em muitos portfólios de investidores e em mercados financeiros mais amplos", afirmou Zac Prince, CEO e cofundador da BlockFi. "Os ativos digitais continuarão a democratizar as finanças, servir como proteção contra a inflação e a política monetária expansionista e a promover inovação em tecnologia financeira e acessibilidade a serviços financeiros", completou.

A avaliação da BlockFi em 3 bilhões de dólares indica um crescimento expressivo da companhia nos últimos meses. Em agosto de 2020, quando realizou sua rodada de Série C, a empresa foi avaliada 450 milhões de dólares, indicando que a BlockFi cresceu 600% desde então — o crescimento supera inclusive o aumento de preço do bitcoin, que era cotado a 11 mil dólares em agosto de 2020 e atualmente é negociado perto de 56.500 dólares.

A valorização, entretanto, se justifica pelos números da companhia. No final de 2019, a empresa tinha cerca de 10 mil usuários, número que subiu para 265 mil atualmente. A BlockFi tem mais de 15 bilhões de dólares em ativos — em março do ano passado, era apenas 1 bilhão. As receitas também passaram de 1,5 milhão de dólares mensais em 2019 para mais de 50 milhões atualmente.

Fundada em 2017 por Zac Prince e Flori Marquez, nos Estados Unidos, a BlockFi oferece serviços financeiros com criptoativos para investidores institucionais e de varejo, como poupança, negociação de ativos de digitais, empréstimos, cartão de crédito Visa com cashback em cripto, entre outros produtos. Considerando todas as rodadas de investimento já realizadas, a BlockFi  captou um total de 450 milhões de dólares com investidores.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.