• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

O “Plano Guedes” e o pânico nos mercados

Parlamentares têm poucos incentivos para cooperar com as ideias econômicas de quem provoca confrontos à toa
 (Reuters/Adriano Machado)
(Reuters/Adriano Machado)
Por Sérgio PraçaPublicado em 09/03/2020 16:38 | Última atualização em 09/03/2020 18:19Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Quatro meses atrás, Paulo Guedes entregou ao Congresso Nacional três propostas de emenda à Constituição: a PEC do Pacto Federativo, a PEC dos Fundos Públicos e a PEC Emergencial. Mais do que a reforma administrativa (cadê?) e a reforma tributária (cooptada pelo Legislativo), essas PECs expressam a visão de mundo do ministro da Economia. Ao lançá-las, Guedes fez uma longa explicação para a imprensa – um ato de transparência louvável e infelizmente incomum no Brasil. Mas deu azar com o Coronavírus e o pânico nos mercados de hoje, evidenciado pela queda no preço do petróleo e alta vertiginosa do dólar.

O pânico é mundial e os políticos brasileiros não estão ajudando. Quando as coisas estavam mais calmas há alguns dias, o presidente Jair Bolsonaro achou por bem espalhar uma mensagem ambígua de apoio a manifestações “pró-Brasil”. Alguns dos organizadores desses protestos, que serão realizados no domingo que vem, dia 15, pedem o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Bolsonaro não diz querer isso e não acredito que ele deseja governar à margem de outras instituições. Mas a ambiguidade da mensagem não ajuda.

Diante da turbulência doméstica e internacional, não seria incomum que um pacto político de curto prazo fosse firmado entre os presidentes das casas legislativas, Paulo Guedes e Bolsonaro para tomar medidas rápidas. Poderiam entrar os pontos menos polêmicos das PECs de Guedes, como a ideia de que despesas não autorizadas expressamente nos orçamentos dos três poderes (e nas três esferas – municipal, estadual e federal) sejam proibidas. Isso está na PEC do Pacto Federativo e é consenso entre os parlamentares.

Mas a vontade de cooperar com o governo diminuiu muito. Paradoxalmente, Guedes terá mais chance de ver suas propostas aprovadas agora se falar pouco em público. Aí, quem sabe, a resposta ao pânico poderá ser a aprovação rápida de alguns pontos das PECs. Não é o cenário mais provável.

(Este artigo expressa a opinião do autor, não representando necessariamente a opinião institucional da FGV.)