Já conquistou Dudinka?

Paralelos entre o jogo de tabuleiro War e o Asset Allocation Global
 (Panorama Econômico/Reprodução)
(Panorama Econômico/Reprodução)
P
Panorama Econômico

Publicado em 24 de janeiro de 2023, 18h35.

Última atualização em 2 de fevereiro de 2023, 19h44.

Por Bernardo Goldsztajn*

Oportunidades e diversificação de risco

Conhece o jogo de tabuleiro War? Já conquistou Dudinka, Omsk ou 18 territórios a sua escolha? Talvez por ter passado por essa experiência, me especializei em Macroeconomia e alocação de ativos globais.

Ao conquistar Dudinka, sem saber, você também estava levando de brinde uma região rica produtora de gás natural através da produção do seu campo de Messoyokha e exploração de Nickel, ou seja, as vezes se você não fizer um bom research, corre o risco de não levar retorno absoluto ou não ter noção do prêmio de risco que está tomando.

Investidores brasileiros com portfolios locais, ao criarem seus investimentos no exterior costumam a manter posições domésticas ou correlacionadas por conforto e, portanto, mantêm baixa diversificação de seus ativos internacionais perdendo inúmeras oportunidades.

Nas últimas décadas, alocamos em oportunidades em diversos países, moedas e em diversas classes de ativos, líquidos e ilíquidos. Nos Estados Unidos, houve um boom das ações de tecnologia, conhecidas como FAANG´s (Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Goolge), nas quais foi possível entrar em estágio inicial e reduzir as posições ao vislumbrarmos o final de ciclo dos estímulos monetários e o aumento do custo do capital intensivo em determinados setores da economia americana.  Variações cambiais de determinadas moedas mediante algum fator econômico, como no México (pós-eleição do Trump), Inglaterra (Brexit) e outros países também geraram oportunidades. Estes casos são somente alguns   exemplos que podemos expor como um mar de oportunidades, diversificando países, moedas, setores, commodities por meio de inúmeras operações.

Para não ficarmos no estilo Forrest Gump, contando somente histórias passadas, há uma série de oportunidades e cabe a cada profissional realizar seus estudos para poder sempre estar antenado as tendências do mercado.

Com o mundo cada vez mais globalizado, o investidor deverá cada vez mais globalizado e com interconexões do sistema financeiro global.

E para os clientes que tem carteiras no Brasil em real e carteira em outras moedas, fora do Brasil, o ideal em termos gerenciais, seria não consolidar em uma moeda somente, devido as variações cambiais constantes, principalmente pela grande volatilidade das moedas emergentes. Caso tenha que consolidar, o ideal deve ser sempre na moeda mais forte e estável.

Como se diria no mundo da Disney: quem converte (do Real brasileiro para Dólar americano), não se diverte.

Modalidades de prestação de serviço e custódia

No Brasil e no exterior existem algumas modalidades similares na prestação de serviços.

Bancos e seus subsegmentos, corretoras e Agentes Autônomos de investimentos, possuem um modelo de remuneração baseado em comissionamentos dos produtos financeiros que lhes remuneram.

Carteiras Administradas ou Consultoria no Brasil e no exterior como nos intitulam External Asset Manager ou Financial Investment Manager, atuamos geralmente de forma independente e o modelo de remuneração se baseia na cobrança direta do cliente com a vantagem de devolução dos comissionamentos oriundos dos produtos financeiros.

Cabe a cada cliente saber identificar qual modelo melhor lhe convém, contanto que fique bem claro quais as diferenças nos modelos de trabalho e que haja governança por parte do profissional, acredito que governança tende a ser um grande diferencial dado que é um dos pilares do tripé da sigla ESG.

Cuidado com as armadilhas!

Elas existem tanto no Brasil como nos outros países. Procure sempre um bom profissional alinhado com suas expectativas e, de preferência, que atue de forma independente. A mesma dica serve para a elegibilidade de uma plataforma que lhe atenda da melhor forma possível, seja banco, corretora ou plataforma digital de baixo custo.

Lembre-se: there´s no free lunch.

Não deixe para depois o que você tem a obrigação de fazer antes

Obrigatoriedades fiscais, planejamento financeiro, planejamento tributário e planejamento sucessório devem ser pensados antes de qualquer movimento, pois caso isso não seja levado em conta antes, as variações que isso pode acarretar no futuro podem levar todo o trabalho por água abaixo mediante uma falta de planejamento. Obviamente deve se levar em consideração os custos e as complexidades desses serviços e não há uma ciência exata sobre tais assuntos, cada caso é um caso, e há algumas formas de se planejar mediante interesse de um grupo familiar específico.

É melhor prevenir do que remediar pois só há duas certezas inevitáveis na vida: a morte e o pagamento de impostos (na vida ou na morte!)

Após batalhas épicas do jogo War, o próximo artigo será Banco Imobiliário, contudo, como na minha infância os imóveis ficavam sempre no Rio de Janeiro desta vez o jogo será em São Paulo, vamos ver se o Real State apreciou mais neste período.

*Bernardo Goldsztajn é Head de Wealth Management na Constância Investimentos. Com mais de 20 anos atuando no mercado financeiro, é consultor de valores mobiliários pela CVM e formação com MBA pelo IBMEC. A área de Gestão de Patrimônio da Constância Investimentos é independente, com gestão de ativos domésticos e gestão internacional.