O que é heurística da representatividade e como ela pode afetar seu bolso?

Saiba como este atalho mental pode afetar as decisões financeiras e os resultados dos investimentos.
 (3283197d_273/iStockphoto)
(3283197d_273/iStockphoto)
Por Palavra do AdvisorPublicado em 24/05/2022 14:25 | Última atualização em 24/05/2022 15:05Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Espero que as últimas colunas tenham começado a fazer com que você passe a questionar mais suas próprias decisões financeiras. Um pouco de disciplina nesse processo pode fazer muito em relação à caminhada para um planejamento financeiro mais eficiente. Temos mais um viés cognitivo para discutir... representatividade.

O que é a heurística da representatividade?

Esse é um atalho mental que se baseia na comparação de uma situação com estereótipos já concebidos pela nossa mente.

Existem muitos exemplos desse tipo de heurística no cotidiano, pois muitas conclusões são baseadas em estereótipos que não refletem a realidade.

Um cenário simples envolve qualquer tipo de jogo de azar. Como exemplo, vamos considerar uma aposta na loteria. Imagine que uma pessoa oferece a você dois comprovantes de aposta: um deles tem números diversificados e o outro uma sequência, como 1-2-3-4-5-6.

Se for possível escolher apenas um, é provável que você opte pelo primeiro, já que seria menos provável que a segunda aposta fosse vencedora. No entanto, em termos de probabilidade, as apostas têm as mesmas chances de ganhar o prêmio.

Logo, a decisão teria sido tomada somente com base no estereótipo de que obter seis números sequenciais é mais difícil do que uma combinação aleatória.

Quais são os efeitos da heurística da representatividade nos investimentos?

Pense, por exemplo, em um investidor que está avaliando uma ação de uma empresa de commodities. Ele pode se inclinar a pensar que o investimento vale a pena, porque muitas empresas ligadas a esses produtos têm bom desempenho na bolsa brasileira.

No entanto, ao não considerar especificamente a situação da empresa e deixar de fazer uma análise aprofundada, o aporte pode não oferecer os resultados esperados.

Esse atalho mental também pode se basear em experiências pessoais nos investimentos. É o caso de um investidor que teve uma experiência de perda com determinado tipo de fundo de investimento, por exemplo.

Anos depois, ele tem a possibilidade de investir em um fundo diferente, mas que é do mesmo tipo. Considerando a experiência negativa anterior, ele decide não realizar a operação — e acaba perdendo o que seria uma boa oportunidade devido às condições do mercado.

Podem ocorrer efeitos semelhantes no fechamento das operações. Um investidor pode se precipitar e decidir fechar uma posição com base em um estereótipo, gerando perdas. Por outro lado, se ele não utilizasse o modelo mental, poderia manter o investimento e aproveitar resultados positivos no futuro.

Por que é importante conhecer essa heurística?

Você já sabe como funciona a heurística de representatividade e como ela pode gerar impactos nos investimentos. Logo, conhecê-la é essencial para que o investidor seja capaz de se proteger dos efeitos indesejáveis desse atalho mental.

Por conhecer a heurística da representatividade, você pode ajudá-lo em aspectos como:

  • identificar o próprio perfil de investidor;
  • estabelecer objetivos financeiros claros;
  • desenvolver e aprimorar uma estratégia com base nas metas financeiras;
  • buscar informações para embasar as escolhas.

Ademais, também pode ajudar o cliente a perceber que o histórico de um ativo ou aplicação não representa, obrigatoriamente, o seu futuro. Não é porque um setor teve bom desempenho (ou o contrário) que isso se repetirá no futuro, por exemplo.

Com esse conhecimento, é possível orientar os investidores a fazerem escolhas mais alinhadas à própria estratégia, otimizando sua atuação.