Quando terceirizar pode ser fatal

A rede de livrarias que contratou a...Amazon.
Por Oportunidades disfarçadasPublicado em 26/07/2018 11:24 | Última atualização em 26/07/2018 11:24Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Em 2001, uma grande rede de livrarias dos EUA estava tentando estruturar seu serviço de e-commerce. Mas como era muito complexo e ainda nada rentável, os dirigentes decidiram terceirizar o serviço. Escolheram uma empresa especializada do setor e entregaram o problema.

Parecia perfeito: uma outra empresa lidaria com toda a chateação, complexidade e detalhes técnicos, enquanto a rede de livrarias ficaria apenas com os lucros das operações.

Ora, mas a empresa contratada era a Amazon. Quando a Borders percebeu o potencial do mercado on line, já era tarde. Em 2007, ela decidiu retomar a operação digital das mãos da Amazon. Lógico que não conseguiu competir. Em 2011, a Borders declarou falência.

O erro fatal da Borders foi acreditar que o seu negócio eram os livros e as lojas físicas, e não fornecer literatura, entretenimento e informação para os clientes, independente do canal. Em contrapartida, sabe qual era o slogan da Amazon na época? Earth’s Most Customer-Centric Company.