($) Na ponta do lápis ($): como é passar a Black Friday em NY

Na semana passada eu estava em Nova Iorque para uma bateria de reuniões e acabei passando a Black Friday por lá. Aproveitei a oportunidade para checar de perto as “barganhas” oferecidas nessa época do ano, saí pelas ruas e pesquisei preços na internet para poder contar para vocês – queridos leitores – se vale ou não a pena. Na quinta-feira (28/11) foi “dia de Ação de Graças” – Thanksgiving – […] Leia mais
M
Mundo do dinheiro

Publicado em 09/12/2013 às 09:54.

Última atualização em 24/02/2017 às 08:41.

Na semana passada eu estava em Nova Iorque para uma bateria de reuniões e acabei passando a Black Friday por lá. Aproveitei a oportunidade para checar de perto as “barganhas” oferecidas nessa época do ano, saí pelas ruas e pesquisei preços na internet para poder contar para vocês – queridos leitores – se vale ou não a pena.

Na quinta-feira (28/11) foi “dia de Ação de Graças” – Thanksgiving – um dos feriados americanos mais importantes, seguido pela Black Friday na sexta e pela Cyber Monday na segunda. Em tese, uma excelente oportunidade de se fazer as compras de Natal. (Essas datas representam 10% das vendas anuais nos EUA)

Mas qual é a verdade por trás disso tudo? Vale mesmo a pena?

A partir de quarta-feira a cidade fica abarrotada, já não se consegue transitar pelas ruas com facilidade e existe fila para TUDO – mesmo em pontos “não turísticos”. Você pode levar mais de 1 hora na fila da (deliciosa) lanchonete Shake Shack para conseguir fazer o seu pedido, por exemplo. E até mesmo comprar um simples café num dos diversos Starbucks espalhados pela cidade, pode levar um bom tempo.

O dia de Ação de Graças começa com o tradicional desfile da Macy’s, que atrai uma multidão. (Avisos espalhados por toda a cidade, recomendam que as pessoas cheguem cedo, por volta das 6 a.m. | Dica: vá preparado para o frio).

Vou listar abaixo algumas das lojas que consegui visitar e suas respectivas “doorbusters” (estratégia que consiste em baixar o preço de alguns produtos – consideravelmente – para atrair os consumidores para dentro da loja):

. Macy’s (se auto-intitula como sendo a maior loja de departamento do mundo). Durante a semana passei na loja algumas vezes para conferir os preços que estavam sendo praticados. Como havia um boato muito forte de que a  loja – que ocupa um quarteirão inteiro na ilha de Manhattan – se transformaria num formigueiro humano por conta das ofertas “matadoras” a serem oferecidas, decidi começar minha peregrinação por lá. A Macy’s abriu as portas as 20 p.m. e para minha surpresa eu consegui entrar com facilidade (não havia fila).

Fui em direção a MAC (maquiagem e cosméticos), e logo descobri que estes tipos de produtos NÃO tinham desconto. Segui para as máquinas de NESPRESSO, pasmem: nenhum desconto. Percebi que basicamente, não houve grandes alterações nos preços. Um tanto decepcionada, fui embora sem comprar absolutamente nada.

Vale lembrar, que a Macy’s já oferece 10% de desconto para estrangeiros durante o ano todo – caso tenha interesse, você pode solicitar esse desconto apresentando o seu passaporte brasileiro – o que na verdade meio que apenas compensa o imposto (tax), cuja alíquota é de aproximadamente 8,75% do valor total da compra. (Pegadinha: esse desconto só é válido para alguns tipos de mercadoria).

Durante a semana, a loja já estava oferecendo um desconto extra de 15% (válido para americanos e estrangeiros), ou 25% de desconto, ao qual chamavam de “pre-sale”. Mas, claro, esses descontos não se aplicavam a todos os produtos da loja.

Fui até o andar de luggage, por exemplo, em busca de ofertas nas malas da Samsonite – perda de tempo. Mesmo com todos os descontos os preços da Amazon eram infinitamente menores!

Nos andares de calçados e roupas, de fato – para os munidos de muita paciência por conta da razoável aglomeração e filas nos caixas – era possível encontrar um ou outro desconto interessante, mas, nada a preço de banana.

Parei para observar O QUE tanto os americanos amontoados nas filas dos caixas estavam comprando. Eletrodomésticos (panela elétrica de arroz, forno elétrico, microondas, liquidificadores, etc) e acessórios de cozinha, itens que estavam sendo vendidos pela metade do preço. Alguns de marcas desconhecidas, como me confidenciou uma vendedora. (Ou seja, queima de estoque de mercadoria encalhada …).

. GAP, na quinta-feira o desconto era de 30% em qualquer peça. Na sexta o desconto subiu para 50% . Porém, no Harlem (264 West 125th Street, New York, NY 10027) existe uma loja que já vende tudo com 50% de desconto durante o ano todo.

. Old Navy, 50% de desconto na loja toda.

. American Eagle, 50% de desconto em todos os produtos, sem dúvida uma das promoções mais honestas do feriado – muita variedade de estilos, tamanhos e cores.

. Hollister, 30% de desconto em todas as mercadorias. Fila de aproximadamente 40 minutos para entrar na loja da 5a Avenida.

. Express, todos os produtos com 50% de desconto.

. Aéropostale, 60% de desconto em todas as mercadorias.

. Forever 21, esse ano lançaram o “yellow tag deals” mercadorias a partir de $3,00. Descontos de até 50% no resto da loja.

. Foot Locker, alguns produtos com desconto de $30,00 a $50,00.

. Modell’s Sporting Goods, produtos esportivos com até 70% de desconto, boas barganhas.

. Uniqlo, apenas $10,00 de desconto nas famosas Ultra Light Down Jacket (de $69,00 por $59,00).

. Toys “R” Us, descontos de 30% a 60%, muitas barganhas!

. Apple Store, gift card de $75,00 na compra de um Ipad Air; gift card de $50,00 na compra de um Ipad Mini; gift card de $150,00 na compra de um Macbook Air; gift card de $150,00 na compra de um Macbook Pro.

. B&H, sem descontos exclusivos na Black Friday.

. Victoria’s Secret, nenhuma promoção exclusiva para o feriado.

. K-mart, nenhuma oferta que chamasse a atenção.

Best Buy, Target e Walmart são sem sombra de dúvidas as lojas que oferecem os descontos mais expressivos. Por conta disso a procura é bem maior, o que significa que as filas são gigantes! As ofertas em produtos eletrônicos são o grande chamariz – especialmente nas TVs.

Conclusão:

* As ofertas começam na quinta-feira (Thanksgiving) e vão até a segunda-feira (Cyber Monday).

* Durante esse período a cidade fica lotada e os preços (hotéis, alimentação, atrações turísticas) sobem – lei da oferta x procura.

* Economize sola de sapato, tempo e paciência e faça suas compras pela INTERNET! Além das ofertas oferecidas nas lojas físicas, algumas são oferecidas EXCLUSIVAMENTE ON-LINE e os preços são IMBATÍVEIS!

* Não deixe de consultar os preços da Amazon e compará-los com os que você encontrou.

Sugestão de temas, perguntas ou comentários podem ser enviados através do espaço abaixo.

Cláudia Augelli 

“Quanto mais você aprende, mais você ganha” – Warren Buffett