O legado de David Beckham para o esporte

David Beckham jogará profissionalmente apenas mais duas partidas de futebol. Atualmente defendendo o Paris Saint-Germain da França, o ainda jogador de futebol avisou que pendurará as chuteiras. Dentro de campo, Beckham foi um excelente jogador e certamente contribuiu com todas as equipes por onde passou. Mas seu principal legado não é técnico. Beckham elevou o patamar dos negócios esportivos, principalmente no desenvolvimento e execução minuciosas de ações de marketing. Entendeu […] Leia mais
E
Esporte Executivo

Publicado em 17/05/2013 às 13:49.

Última atualização em 24/02/2017 às 09:01.

David Beckham jogará profissionalmente apenas mais duas partidas de futebol. Atualmente defendendo o Paris Saint-Germain da França, o ainda jogador de futebol avisou que pendurará as chuteiras. Dentro de campo, Beckham foi um excelente jogador e certamente contribuiu com todas as equipes por onde passou. Mas seu principal legado não é técnico.

Beckham elevou o patamar dos negócios esportivos, principalmente no desenvolvimento e execução minuciosas de ações de marketing. Entendeu o potencial de alcance que um jogador de futebol conhecido, competente, bem sucedido, bonito e atento a questões sociais poderia ter. E foi longe. Percebeu que a imagem que possui como atleta pode ser tão valiosa quanto seu valor meramente futebolístico, como boa parte dos jogadores atualmente se limitam a ter. Não foi chamado mundo a fora para divulgar ações de seus patrocinadores e clubes porque era apenas craque dentro do campo – há até quem duvide de tanta competência com a bola nos pés-, mas porque foi provavelmente, olhando para o futebol, o maior craque fora dos campos.

Mas Beckham sempre soube que era muito mais que um jogador. Atingiu o equilíbrio perfeito entre o que um atleta pode ser para o esporte além da execução de suas técnicas esportivas. Respeita extremamente seus patrocinadores, que satisfeitos com a fidelidade e exposição, não titubeiam em querer tê-lo sempre entre seus garotos propaganda. Função que ele parece tirar de letra. Mas se atentarmos aos detalhes, veremos que exigia sua atenção constante, embora fizesse parecer natural.

Exemplo recente e interessante disso ocorreu em uma coletiva de imprensa no final do último ano. O atleta respondia a uma pergunta quando o celular de um dos repórteres presentes, usado naquele momento como um gravado, tocou. Bem humorado, Beckham até considerou atendê-lo, mas ao perceber que o aparelho não era um Samsung, empresa que o patrocina, desistiu e ainda explicou o motivo. Assim, não só gerou exposição mundial para seu patrocinador em um momento que, teoricamente, seria difícil gerar – embora não seja difícil imaginar até que a situação não foi tão natural como fez parecer ser-, como impediu a exposição de qualquer concorrente (clique aqui para ver o vídeo).

Certamente o ainda atleta não desaparecerá da mídia tão rapidamente. Beckham cuidou de sua trajetória no esporte de forma tal, que parar de jogar futebol é só um detalhe. Talvez até já tenha parado antes, mesmo ainda em atividade, e ninguém tenha se dado conta. Porque dentro de campo ele é bom. Mas fora dele, atualmente, é insuperável.

Siga-nos no Twitter: @viniciuslord e/ou @EXAME_EsporteEx