Como tirar o máximo de uma mentoria, por Cris Junqueira, do Nubank

Para cofundadora do Nubank, contar com alguém para auxiliar a adquirir alguma competência pode ser o diferencial necessário para chegar mais longe
O mentor é uma pessoa mais experiente, que já se desenvolveu mais na carreira, e o mentorado é aquele que está buscando adquirir aquele conhecimento de alguma forma (runeer/Getty Images)
O mentor é uma pessoa mais experiente, que já se desenvolveu mais na carreira, e o mentorado é aquele que está buscando adquirir aquele conhecimento de alguma forma (runeer/Getty Images)
Por Cristina JunqueiraPublicado em 06/08/2021 09:00 | Última atualização em 05/08/2021 17:42Tempo de Leitura: 5 min de leitura

A capacidade de aprender é um dos principais aspectos para se desenvolver e crescer na carreira. Estar no lugar certo, na hora certa, ajuda, mas é preciso estar preparado para aproveitar as oportunidades quando elas aparecem. Não é preciso estar 100% preparado, mas estar disposto a preencher essas potenciais lacunas o mais rápido possível. Nesse sentido, ter alguém que aponte os caminhos para isso é muito valioso.

Na sua coluna em vídeo desta quinzena, Cristina Junqueira fala sobre mentoria profissional e como escolher a pessoa certa pode ajudar a chegar mais longe.

O que é mentoria profissional?

A mentoria profissional é um processo de troca entre dois profissionais: um que terá o papel de mentor, e outro de mentorado. O mentor é uma pessoa mais experiente, que já se desenvolveu mais na carreira, e o mentorado é aquele que está buscando adquirir aquele conhecimento de alguma forma.

O processo de mentoria geralmente envolve muitas conversas, nas quais o mentor vai dividir a experiência que adquiriu ao longo da sua carreira - quais foram os erros, os acertos, os principais aprendizados - de modo que a pessoa que está sendo mentorada possa acelerar o seu próprio conhecimento sem precisar ter passado pelas mesmas situações.

Os temas tratados podem ser desde os mais amplos até os mais específicos, como gestão de projetos e de pessoas, negociação, liderança, delegação de tarefas ou gerenciamento de tempo. Qualquer assunto que esse mentorado procure e a pessoa que o está mentorando possa oferecer uma curva de aprendizado mais curta.

Uma coisa muito importante, no entanto, é fazer combinados com relação ao tema escolhido. A mentoria profissional não é uma sessão de terapia, e não deve ser o momento para desabafar sobre problemas pessoais, com a empresa ou com o chefe. É preciso ter clareza das lacunas a serem preenchidas, das competências e habilidades que precisam ser adquiridas e combinar em quais delas focar. Somente assim é que o progresso será alcançado.

Como funcionam as mentorias?

A primeira etapa é o planejamento. Uma conversa entre as duas partes envolvidas para ser bem específico sobre os temas a serem abordados, qual a prioridade dentro desses temas e os conhecimentos que serão mais úteis para a pessoa que está sendo mentorada.

Além disso, é preciso determinar como esses encontros serão. Qual a dinâmica? Com que frequência eles ocorrerão? Em qual formato - presencial ou virtual? Qual a duração? Todos esses detalhes precisam ser combinados previamente para que nenhuma das partes sinta que suas necessidades não estão sendo atendidas e não se frustre no processo.

É importante ressaltar que esses processos de mentoria podem ser ainda mais valiosos para pessoas e grupos que enfrentam barreiras sistêmicas que resultam em pouco direcionamento de líderes e gestores diretos, como mulheres, pessoas negras e membros da comunidade LGBTQIA+. As pessoas têm dificuldade de se enxergar em posições em que não têm nenhuma referência, e as mentorias podem auxiliar muito nesse processo.

No Nubank nós temos plena consciência disso e, por isso, recentemente iniciamos um programa piloto de mentoria cujas vagas foram 100% destinadas a pessoas desses grupos sub representados e que entendem a mentoria como ferramenta importante para a continuidade dos seus planos de desenvolvimento. Com o sucesso das primeiras etapas, o objetivo agora é conseguir escalar o projeto para que ainda mais pessoas possam se beneficiar e impulsionar suas carreiras.

Quando fazer uma mentoria?

Como já mencionei, a mentoria é um processo de aprendizagem rápida, específica e customizada. É importante ter muita clareza sobre o que esse processo significa e ser bastante intencional com relação aos seus objetivos - uma promoção, mudança de carreira, ou preenchimento de conhecimento que pode ser acelerado com a presença de um mentor. Entender o contexto evita que tanto mentor quanto mentorado se decepcionem com a dinâmica e o resultado dos encontros.

A mentoria não substitui outras iniciativas de aprendizagem, como cursos, graduações, pós-graduação, entre outros, mas é um complemento a essas iniciativas que pode permitir que o conhecimento seja aplicado, desenvolvido e testado de acordo com as particularidades e desafios apresentados pelo mentor.

A principal vantagem de um programa de mentoria é o desenvolvimento profissional e pessoal de quem a está recebendo, mas é um processo que funciona numa via de mão dupla e é muito rico também para quem está servindo de mentor. Estudos recentes mostram que mentorar um colega auxilia na autoconfiança, solidifica o conhecimento, aumenta as habilidades de comunicação e diminui os níveis de ansiedade.

Com certeza é um jogo que, quando bem jogado, todo mundo ganha.

Fique por dentro das principais tendências de carreira. Assine a EXAME.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

 

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.