Acompanhe:

Variante 'Mu': OMS passa a monitorar nova cepa do coronavírus; saiba mais

Identificada pela primeira vez na Colômbia, variante chegou ao Brasil através da Copa América; OMS alerta que ela pode ser resistente às vacinas, mas que mais pesquisas precisam ser feitas

Modo escuro

Continua após a publicidade
Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS (Fabrice Coffrini/Pool/Reuters)

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS (Fabrice Coffrini/Pool/Reuters)

L
Laura Pancini

Publicado em 2 de setembro de 2021 às, 10h07.

Última atualização em 3 de setembro de 2021 às, 13h53.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando uma nova variante do coronavírus chamada “Mu”, também conhecida como B.1.621. A cepa tem mutações que indicam que ela tem o potencial de escapar da imunidade fornecida pela vacina ou por uma infecção anterior.

Identificada pela primeira vez na Colômbia, a cepa já é responsável por 4.600 casos em pelo menos 40 países, sendo quase 2.000 casos somente dos Estados Unidos.

De acordo com o relatório da OMS, a Mu “tem uma constelação de mutações que indicam propriedades potenciais de escape imunológico”.

As mutações principais são a E484K, relacionada a um escape imunológico parcial e encontrada na Beta e Gama, e a N501Y (ou Nelly) que está presente na Alfa e pode significar uma transmissibilidade maior.

Porém, mais estudos precisam ser feitos para confirmar se a cepa é realmente mais contagiosa ou mais resistente às vacinas.

No Brasil, 10 casos da variante Mu já foram registrados. Os primeiros dois foram por conta dos Jogos da Copa América: duas pessoas da delegação colombiana, que jogaram em Cuiabá contra o Equador em 13 de junho, foram detectadas com a cepa.

Apesar da prevalência global da variante ter diminuído, a presença na Colômbia e no Equador só tem aumentado: 39% dos casos sequenciados e 13% das amostras, respectivamente.

A Mu foi adicionada a lista de variantes de interesse (VOI) da OMS no final de agosto. As VOIs são aquelas cepas que foram registradas e estão sob observação, mas ainda não se classificam com variante de preocupação (VOC), como é o caso das cepas Alfa (anteriormente conhecida como britânica); Beta (sul-africana); Gama (brasileira) e Delta (indiana). Elas são classificadas como VOCs por serem mais contagiosas que o vírus original da covid-19.

“A epidemiologia da variante Mu na América do Sul, particularmente com a co-circulação da variante Delta, será monitorada para mudanças”, disse a agência.

Últimas Notícias

Ver mais
ELN libertou 26 reféns desde dezembro, anuncia governo da Colômbia
Mundo

ELN libertou 26 reféns desde dezembro, anuncia governo da Colômbia

Há 3 dias

Presidente da Colômbia apoia Lula em disputa com Israel
Mundo

Presidente da Colômbia apoia Lula em disputa com Israel

Há uma semana

Petro, da Colômbia, defende Lula após declarações sobre a Faixa de Gaza
Mundo

Petro, da Colômbia, defende Lula após declarações sobre a Faixa de Gaza

Há uma semana

Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual
Brasil

Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais