Ciência

Contra fake news, Ministério da Saúde cria robô sobre covid-19 no WhatsApp

Para aumentar o alcance de informações verificadas sobre a covid-19, Ministério da Saúde lança bot para o WhatsApp

Coronavírus: Ministério da Saúde lança bot para ajudar a combater fake news sobre o tema (Eduardo Munoz Alvarez/Getty Images)

Coronavírus: Ministério da Saúde lança bot para ajudar a combater fake news sobre o tema (Eduardo Munoz Alvarez/Getty Images)

ME

Maria Eduarda Cury

Publicado em 27 de março de 2020 às 11h14.

Última atualização em 27 de março de 2020 às 11h52.

O Ministério da Saúde anunciou um canal de informações sobre o novo coronavírus, chamado de Sars-CoV-2, para o WhatsApp. A nova ferramenta passa a funcionar a partir da data de hoje, e tem como objetivo combater as fake news sobre o tema, mantendo a população informada com o uso de notícias e conteúdo verificado pelo próprio setor.

O atendimento será gratuito e realizado por um robô de atendimento automático, ou bot. Ele responderá dúvidas mais comuns, como, por exemplo, os principais sintomas e algumas orientações sobre a doença. Além disso, o bot também poderá orientar os usuários sobre como agir diante de casos suspeitos, quais são as formas de contaminação e desmentir alguns boatos que circulam pela plataforma de mensagens instantâneas.

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde do Brasil, comentou em nota que a principal intenção é manter a transparência sobre as informações que circulam nas redes sociais sobre a covid-19. “Desde o início da circulação do coronavírus no mundo, o Ministério da Saúde trata com total transparência as informações referentes ao tema. Esta ferramenta permitirá o contato imediato do cidadão com as diretrizes oficiais e informações verídicas, diretamente da fonte, evitando equívocos em um momento de cuidado extremo”, comentou Mandetta.

Matt Idema, diretor de operações do WhatsApp, também reforçou a necessidade da plataforma se tornar um meio confiável para o acesso de informações e notícias: "Em momentos difíceis como esse, as pessoas usam o WhatsApp mais do que nunca para se conectar e apoiar seus amigos, familiares e comunidades. Temos o prazer de poder fornecer ao Ministério da Saúde ferramentas de comunicação para ajudá-los a responder às perguntas dos cidadãos sobre o vírus com conselhos de saúde confiáveis e oportunos, a fim de manter as pessoas seguras”, completou Idema, em nota.

Existem duas maneiras de ter acesso ao bot criado pelo Ministério da Saúde:

  • Pelo celular: basta salvar o número +55 (61) 9938-0031 e enviar a mensagem "Oi" para iniciar a conversa;
  • Pelo WhatsApp Web: é necessário acessar este link para começar a conversar com o bot.

Além do Ministério da Saúde brasileiro, os órgãos de saúde de países como Israel, Cingapura, Argentina e Indonésia também adotaram formas de comunicação oficiais por meio do WhatsApp.

O órgão brasileiro não é o único a ter desenvolvido um robô para informar sobre o tema na plataforma; o CheckCorona, criado pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, ICMC, da Universidade de São Paulo, também almeja ser um meio para guiar a população sobre como lidar com a  pandemia. Confira:

CheckCorona

Desenvolvido pelo doutorando Murilo Gazzola, do ICMC, o CheckCorona tem como objetivo facilitar a triagem e identificar se o usuário em questão está com possíveis condições de risco. O bot foi programado para realizar perguntas simples ao indivíduo, como a idade, a localização onde mora e se está apresentando algum dos principais sintomas - como febre ou tosse.

Para ter acesso ao bot, é necessário adicionar o número +55 (16) 98112-8986 e iniciar a conversa com a mensagem "CheckCorona", que responderá com as questões necessárias para fazer o atendimento. Respondidas as questões, o bot identifica qual é a melhor solução para o usuário. Ele reforça que idas ao hospital sem estar de fato contaminado, no momento, não são necessárias, e recomenda o autoisolamento para os indivíduos que não apresentam graves sintomas.

A ideia do projeto está entre as 71 selecionadas pelo Desafio Covid-19, realizado pelo Ministério Público de Pernambuco em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco. Para realizar o projeto de big data, Gazzola informou, em nota, que combinou aprendizado de máquina profundo, chamado de deep learning, com processamento de língua natural; ele acrescentou que sua intenção era levar informação ao maior número de brasileiros possível, de forma gratuita e simples.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusMinistério da SaúdeRobôsWhatsApp

Mais de Ciência

Virgin Galactic faz último voo espacial antes de um hiato de dois anos

Gel pode virar tratamento contraceptivo para homens

Beber álcool antes de dormir no avião traz risco para a saúde, revela estudo

Painel da FDA rejeita MDMA para tratar estresse pós-traumático

Mais na Exame