Acompanhe:

Cientistas descobriram 163 novas espécies no rio Mekong em 2015

Especialistas expressam temor de que espécies que desapareçam sem ser descobertas devido ao rápido desenvolvimento da zona

Modo escuro

Continua após a publicidade
Espécie Gekko Bonkowski fotografada em Mekong (WWF/Thomas Calame/Reuters)

Espécie Gekko Bonkowski fotografada em Mekong (WWF/Thomas Calame/Reuters)

A
AFP

Publicado em 19 de dezembro de 2016 às, 08h58.

Última atualização em 19 de dezembro de 2016 às, 08h58.

Uma cobra com as cores do arco-íris em sua cabeça e uma lagartixa com chifres estão entre as espécies mais chamativas de uma lista de 163 animais e plantas desconhecidos que foram descobertos pelos cientistas no ano passado no rio Mekong, informaram os pesquisadores nesta segunda-feira.

O rio Mekong, que desce pelas colinas do Tibete, passando pelas montanhas e florestas do sudeste asiático, abriga uma das regiões mais diversas do planeta.

Todos os anos, os cientistas anunciam que encontraram novas espécies em sua bacia, muitas vezes depois de longos processos de identificação, que deixam em evidência o quanto ainda precisa ser descoberto nesta região.

No entanto, muitos especialistas expressam seus temores de que existam espécies que desapareçam sem ser descobertas devido ao rápido desenvolvimento desta zona, onde a lei é aplicada com debilidade e o tráfico de espécies constitui um fenômeno descontrolado.

"A grande região do Mekong é um ímã para os cientistas especializados na conservação devido à incrível diversidade de espécies que continuam sendo descobertas aqui", disse Jimmy Borah, pertencente à equipe da ONG WWF deslocado à zona.

"Há uma corrida contra o tempo para garantir que estas espécies recém-descobertas sejam protegidas", explicou.

Esta região inclui o sudoeste da China, Vietnã, Camboja, Laos, Tailândia e Mianmar. Entre os problemas há a construção de estradas e atividades ilegais como o tráfico ilegal de espécies.

"Muitos colecionadores estão dispostos a pagar milhares de dólares pelas espécies mais raras, únicas e em uma maior situação de perigo", indicou Borah.

No total, os cientistas descreveram 163 novas espécies em 2015, incluindo nove anfíbios, três mamíferos, 11 peixes, 14 répteis e 126 plantas.

Entre os animais mais chamativos, há uma serpente que na cabeça tem escamas coloridas que se assemelham a um arco-íris.

No Camboja e no Vietnã foi descoberta uma nova espécie de sapo tão pequeno que cabe na ponta do dedo.

Entre 1997 e 2015 foram descritas 2.409 novas espécies na região, o que equivale a uma descoberta a cada duas semanas.

Últimas Notícias

Ver mais
Cientistas chineses conseguem clonar um macaco rhesus
Ciência

Cientistas chineses conseguem clonar um macaco rhesus

Há 2 meses

Mergulhadores ajudam cientistas a identificar raias no litoral de SP
Ciência

Mergulhadores ajudam cientistas a identificar raias no litoral de SP

Há 2 meses

Lula defende padre Júlio Lancellotti, alvo de CPI: 'Dedica sua vida a seguir o exemplo de Jesus'
Brasil

Lula defende padre Júlio Lancellotti, alvo de CPI: 'Dedica sua vida a seguir o exemplo de Jesus'

Há 2 meses

Câmara de SP deve abrir CPI das ONGs em fevereiro; autor quer investigar o padre Júlio Lancellotti
Brasil

Câmara de SP deve abrir CPI das ONGs em fevereiro; autor quer investigar o padre Júlio Lancellotti

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais