Casual

Marie Curie é eleita mulher mais influente da história em pesquisa da BBC

A ativista de direitos civis Rosa Parks, dos EUA, veio em segundo lugar na lista, seguida por Emmeline Pankhurst, líder do movimento sufragista britânico

Marie Curie: cientista foi a primeira pessoa a receber dois prêmios Nobel (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

Marie Curie: cientista foi a primeira pessoa a receber dois prêmios Nobel (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)

R

Reuters

Publicado em 9 de agosto de 2018 às 15h51.

Londres - Cientista vencedora do Prêmio Nobel, Marie Curie foi a mulher mais influente da história, revelou uma pesquisa da rede britânica BBC nesta quinta-feira, enfatizando seu papel na cura do câncer.

Os leitores da revista BBC History colocaram a polonesa no topo de uma lista de 100 mulheres que mudaram o mundo por se tornar a primeira pessoa a receber dois prêmios Nobel e por sua pesquisa sobre a radioatividade - uma palavra que ela criou.

"É muito importante ressaltarmos o trabalho de grandes pensadoras como Marie Curie", disse Heenali Patel, porta-voz da Sociedade Fawcett, a maior instituição de defesa dos direitos das mulheres do Reino Unido, à Thomson Reuters Foundation em comentários enviados por email.

"É vital celebrarmos as histórias ricas e variadas que elas nos deixaram - e usar suas histórias para inspirar gerações futuras de mulheres inovadoras."

A pesquisa coincide com os esforços para aumentar a representatividade das mulheres no Reino Unido e um debate sobre a disparidade salarial entre os gêneros e com o momento em que o país comemora o centenário do sufrágio feminino.

A instituição de caridade National Trust planeja duplicar o número de estátuas de mulheres comuns, já que só cerca de um sexto das 925 estátuas públicas britânicas representam mulheres.

A ativista de direitos civis norte-americana Rosa Parks, que se recusou a ceder seu lugar em um ônibus para uma pessoa branca, veio em segundo lugar na lista, seguida por Emmeline Pankhurst, líder do movimento sufragista britânico que ajudou as mulheres a conquistarem o direito de votar.

Acompanhe tudo sobre:MulheresPesquisas científicasPrêmio Nobel

Mais de Casual

A estratégia (quase) secreta da Grand Cru para fazer o brasileiro beber mais vinho da Borgonha

Conheça o azeite brasileiro eleito o Melhor do Hemisfério Sul em concurso na Itália

Os Sete Lendários: a mais nova (e disputada) safra da Miolo

Dia do Martini: mixologista Alê D’Agostino dá dicas infalíveis para o coquetel perfeito

Mais na Exame