Casual

Aos 100 anos, Disney mira em parcerias e promete levar magia à casa dos brasileiros

Com a franquia Disney Home, marca aposta em produtos para casa sofisticados para atrair o público adulto

Espaço da arquiteta Cilene Lupi na Casa Cor, em SP: enxoval, louças e itens exclusivos da Disney para a Casa Riachuelo (Andre Klotz/Divulgação)

Espaço da arquiteta Cilene Lupi na Casa Cor, em SP: enxoval, louças e itens exclusivos da Disney para a Casa Riachuelo (Andre Klotz/Divulgação)

Gabriella Sandoval
Gabriella Sandoval

Editora de branded content

Publicado em 31 de agosto de 2023 às 08h01.

Última atualização em 31 de agosto de 2023 às 10h58.

Durante a pandemia, a venda de produtos para a casa disparou. Mas a dúvida era como o consumidor se comportaria nos anos seguintes ao isolamento. Para responder essa pergunta, a Disney fez diversas pesquisas quanti e qualitativas com consumidores de todo o Brasil. A resposta veio em tom de alento, com projeções que apontam um crescimento de dois dígitos na categoria nos próximos cinco anos.

A constatação serviu de incentivo para a marca levar adiante o lançamento, este ano, do Disney Home. “Esse novo conceito nada mais é do que uma linha de produtos voltados para casa e decoração com valor agregado de design, inovação e storytelling”, resume Priscilla Haddad, Sr. Manager de Licensing Stationery da Disney. “Quermos, cada vez mais, levar magia para a casa dos consumidores, conectando cada cantinho com suas histórias preferidas.”

A primeira parceria veio em forma de arte. A convite da Disney Brasil, o artista plástico Vik Muniz expôs sete obras inspiradas em Walter Elias Disney, cofundador da The Walt Disney Company. Uma das obras, inclusive, ajudou a compor o espaço da arquiteta Cilene Lupi na Casa Cor. O espaço foi escolhido para lançar, em primeira mão, a nova linha Disney 100, da Casa Riachuelo, em homenagem aos 100 anos de história da marca.

No ambiente lúdico, a Disney se fez presente no enxoval, nas louças e em outros itens feitos com exclusividade em parceria com a rede varejista. “Desde que lançamos essa coleção, nosso market share para produtos adultos na Casa Riachuelo dobrou”, comemora Priscila. A seguir, a executiva conta, em detalhes, a nova estratégia da marca para levar magia à casa dos consumidores brasileiros:

Além do potencial de mercado para produtos para casa, o que mais as pesquisas feitas pela Disney pós-pandemia relevaram?
Em março deste ano, a gente fez uma pesquisa mais qualitativa para entender se público jovem adulto compraria artigos de casa da Disney, e o índice foi superpositivo. Cerca de 80% deles respondeu que sim. E quando mostramos as amostras, esse índice subiu para 90%. Foi quando vimos que estávamos no caminho certo. Além disso, confirmamos que o brasileiro, ainda que goste de coisas coloridas, têm preferência por produtos mais clássicos.

Como foi a estratégia de lançamento, este ano, na Linha Home?
A gente começou a franquia da Disney Home em abril, com as obras do Vick Muniz na SP-Arte. Depois, lançamos a linha tecnológica com a Panasonic, que foi a nossa primeira linha branca no Brasil, com refrigerador e microondas de Star Wars, cujas vendas estão começando agora. Por fim, lançamos na Casa Cor os produtos exclusivos para a Casa Riahuelo, uma das nossas parceiras para lifestyle de Disney.

Obra “People Look Like People”, da série Gibi, de Vik Muniz: uma homenagem do artista ao universo Disney e à democratização da arte (André Klotz)

Essas novas parcerias com marcas têm foco qual público?
Disney Home veio para trazer uma linha mais sofisticada. São produtos voltados para casa e decoração, mas com valor agregado de design e inovação e que busca um público mais A/B.

Como as peças são criadas?
A gente tem total autonomia aqui, com uma equipe parruda de designers que trabalham junto com a gente para desenvolver uma coleção alinhada ao que o nosso público consumidor brasileiro está buscando. No Brasil, mais especificamente, temos uma equipe de mais de 10 pessoas para o desenvolvimento e a negociação de parcerias. Posso afirmar que 100% da linha é aprovada e desenvolvida aqui no Brasil.

O que faz a Disney dizer “sim” para um parceiro?
A gente faz um mapeamento tanto de indústrias como de varejistas, e busca parcerias perenes e que se sustentem. A Disney prega a muito a construção dessa linha no mercado. Tudo é muito bem estruturado, de acordo com o nosso calendário de conteúdos – e é isso que faz a diferença.

Pode nos antecipar o que vem por aí?
Não posso ainda abrir os nomes, mas já temos três novas parcerias fechadas para o ano que vem: uma no segmento de portáveis, uma no mundo gamer e outra na linha de cama, mesa e banho e decor. Aguardem, pois vem muita coisa boa por aí!

Acompanhe tudo sobre:RiachueloDisney

Mais de Casual

Wine power: o poder dos bares de vinho na educação sobre a bebida

Antonio Forjaz, da Sportingbet, mostra a rotina multiesportiva de um executivo

O Brasil é apaixonado por picapes, e o CEO da Ford América do Sul sabe o motivo

A melhor mesa de restaurante do Rio de Janeiro fica no Copacabana Palace

Mais na Exame