Acompanhe:

Anderson Silva alega inocência em teste exame antidoping

Antes de receber o resultado da contraprova, o lutador decidiu se pronunciar sobre o teste positivo para esteroides, e garantiu que não se dopou

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Anderson Silva: "eu não usei nenhuma substância de aumento de performance"
 (Getty Images)

Anderson Silva: "eu não usei nenhuma substância de aumento de performance" (Getty Images)

A
Alessandro Lucchetti e Paulo Favero

Publicado em 4 de fevereiro de 2015 às, 21h31.

São Paulo - Antes mesmo de receber o resultado da contraprova do exame de antidoping, Anderson Silva decidiu se pronunciar sobre o resultado positivo para os esteroides anabolizantes drostanolona e androsterona e garantiu que não se dopou. 

"Eu não usei nenhuma substância de aumento de performance. Minha posição sobre drogas continua sendo e sempre será a mesma. Eu advogo por um esporte limpo. Estou competindo há muito tempo, essa foi minha 19.ª luta no UFC. Passei por muitos exames durante esse período e nunca dei positivo para nenhuma substância", afirmou o brasileiro.

Para se proteger, o estafe do lutador já está recrutando uma equipe de advogados em Las Vegas para defender o lutador em julgamento disciplinar. A Comissão Atlética do Estado de Nevada vai ouvir o brasileiro no próximo dia 17 e ele pode receber uma suspensão de nove meses a um ano, além de multa, caso seja considerado culpado.

"Estou fazendo consultas junto com minha equipe para explorar as opções que tenho e pretendo lutar contra essa alegação para limpar meu nome. Eu não vou fazer mais nenhum comentário até que receba qualquer indicação da minha equipe", continuou o atleta.

A demora para publicação do resultado é objeto de críticas dos fãs e outros lutadores. O chefe da Comissão Atlética de Nevada, Francisco Aguilar, diz que teria cancelado a luta se soubesse antes do resultado. Tanto a Comissão como o UFC dizem que só tomaram conhecimento do resultado na última segunda-feira.

Como o UFC 183 arrecadou US$ 4,5 milhões, sem contar outros lucros com patrocinadores e venda de assinaturas pagas para ver o combate, especula-se que a divulgação teria sido "segurada" para evitar prejuízos e não estragar o retorno do brasileiro ao octógono após 399 dias.

Mas Daniel Eichner, diretor executivo do laboratório SMRTL, garante que é bobagem achar que houve uma atitude deliberada para adiar o resultado do exame.

"Nós somos independentes e não temos conhecimento de quem está sendo testado. Recebemos uma amostra biológica, que vem por correio para gente. Então colocamos no sistema, mas vale lembrar que a análise é feita por uma numeração, o que garante o sigilo de quem está sendo analisado. Então não temos ideia de quem é a amostra e a que evento se refere. Muitas vezes essas análises levam um tempo para serem feitas", explicou, em entrevista para o site Yahoo! Sports.

Últimas Notícias

Ver mais
Gabriel Medina vence ISA Games e conquista vaga para Paris 2024
Esporte

Gabriel Medina vence ISA Games e conquista vaga para Paris 2024

Há um dia

Além de Pogba, relembre outros jogadores que pegaram penas pesadas por doping
Esporte

Além de Pogba, relembre outros jogadores que pegaram penas pesadas por doping

Há 4 dias

Paul Pogba é suspenso do futebol por quatro anos por doping
Esporte

Paul Pogba é suspenso do futebol por quatro anos por doping

Há 4 dias

Tenista Rafael Matos é o primeiro brasileiro a vencer o Rio Open
Esporte

Tenista Rafael Matos é o primeiro brasileiro a vencer o Rio Open

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais