Acompanhe:
seloCarreira

O que fazer quando a empresa não paga nem o piso salarial da sua categoria

O que fazer quando a empresa contrata como "analista" só para não pagar o piso salarial de determinada categoria profissional? Marcelo Mascaro responde

Modo escuro

Continua após a publicidade
Homem com moedas: engenheiros, químicos, jornalistas são profissionais que têm pisos salariais definidos por lei (Wavebreakmedia Ltd/Thinkstock)

Homem com moedas: engenheiros, químicos, jornalistas são profissionais que têm pisos salariais definidos por lei (Wavebreakmedia Ltd/Thinkstock)

M
Marcelo Mascaro Nascimento, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista

Publicado em 6 de setembro de 2018 às, 12h00.

Última atualização em 6 de setembro de 2018 às, 12h00.

O salário de todo empregado deve respeitar o valor do salário mínimo nacional, que atualmente é fixado em R$ 954,00. Além desse valor, que se aplica em todo o território nacional, cada estado da federação pode estabelecer outro superior, a título de salário mínimo que será exigido em sua área.

Observamos, porém, que os estados podem criar diferentes valores de salário mínimo para distintas categorias profissionais. No estado de São Paulo, por exemplo, o salário mínimo é de R$ 1.108,38 para alguns tipos de trabalhadores, dentre os quais, os domésticos, e R$ 1.127,23 para trabalhadores de serviços de higiene e saúde, entre outros profissionais.

Existem, ainda, leis federais destinadas a categorias ou profissões específicas que determinam um piso salarial desses profissionais (ou seja, um valor salarial mínimo, que deve ser respeitado em todo o País). Por exemplo, os salários do médico, engenheiro, químico, farmacêutico, enfermeiro, entre muitos outros. Também, além da lei federal, cada estado pode estabelecer diferentes pisos salariais para profissões ou categorias específicas.

Todos esses pisos devem necessariamente ser respeitados pelos empregadores, mas, caso o trabalhador cumpra uma jornada de trabalho inferior à normal, o salário pode ser pago de forma proporcional.

Se, porém, o piso não for respeitado, o trabalhador pode reivindicar a diferença salarial na Justiça do Trabalho. Nessa hipótese, ele terá direito não apenas à diferença salarial, mas também aos seus reflexos em todas as demais verbas, como 13º salário, férias, FGTS e contribuições previdenciárias.

Já no âmbito coletivo, o trabalhador que tem seu piso desrespeitado pode fazer uma denúncia ao Ministério Público do Trabalho. Esse órgão irá fiscalizar a empresa infratora e atuará para que esta adeque sua conduta à lei, seja por meio de um termo de ajustamento de conduta ou por ação judicial.

O trabalhador prejudicado pode também procurar o sindicato de sua categoria profissional. Essa entidade poderá tanto auxiliá-lo com uma ação trabalhista para receber as diferenças devidas, como poderá ajuizar uma ação de âmbito coletivo contra a empresa, para que respeite o piso.

Por fim, esclarecemos que o piso salarial só é devido ao empregado que exerce as funções que correspondem à categoria ou profissão beneficiada. Não basta possuir o diploma ou formação correspondente à profissão. É preciso exercer as funções relativas a esta.

 

 

Últimas Notícias

Ver mais
Concurso Caixa: após 10 anos, haverá vagas para ampla concorrência; veja como se preparar
seloCarreira

Concurso Caixa: após 10 anos, haverá vagas para ampla concorrência; veja como se preparar

Há 22 horas

Geração Z: os líderes que não virão - e agora?
seloCarreira

Geração Z: os líderes que não virão - e agora?

Há um dia

Muitas vagas, poucos talentos: especialista revela qual o profissional mais disputado do mercado
seloCarreira

Muitas vagas, poucos talentos: especialista revela qual o profissional mais disputado do mercado

Há 2 dias

Semana de trabalho de 4 dias é bem-sucedida no maior teste já feito no mundo
seloCarreira

Semana de trabalho de 4 dias é bem-sucedida no maior teste já feito no mundo

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais