Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

Freelancers homens ganham 48% mais do que mulheres, diz estudo

Entre as seis áreas de onde o trabalho freelance são comuns, a discrepância salarial entre homens e mulheres foi mais ampla em administração, tecnologia da informação e atendimento ao cliente
 (Ronnie Kaufman/Getty Images)
(Ronnie Kaufman/Getty Images)
B
BloombergPublicado em 20/07/2022 às 19:18.

No mundo do trabalho freelance, onde cada um pode definir quanto ganha, as mulheres ainda ficam para trás.

Foi a conclusão de um estudo com quase 6.000 freelancers baseados nos EUA conduzido pela ZenBusiness, um serviço de administração de negócios com sede em Austin, no Texas. O estudo descobriu que, em média, os freelancers do sexo masculino cobram 48% a mais por hora do que as mulheres. 

Entre as seis áreas de trabalho freelance mais comuns, a discrepância salarial entre homens e mulheres foi mais ampla em administração, tecnologia da informação e atendimento ao cliente. As mulheres se destacaram apenas em desenvolvimento de software e ciência de dados, cobrando 22 centavos de dólar a mais por hora do que seus colegas masculinos.

VEJA TAMBÉM:

A economia informal, que deve crescer para quase US$ 500 bilhões nos EUA ano que vem, foi reforçada por um número crescente de mulheres que priorizam flexibilidade sobre estabilidade. No entanto, mesmo em um sistema que promete maior liberdade e autonomia, a remuneração das mulheres fica defasada, ameaçando ampliar uma disparidade global de gênero que o Fórum Econômico Mundial diz que levará 132 anos para eliminar.

“É profundamente preocupante que as mulheres que trabalham de forma independente experimentem grandes disparidades salariais”, disse Rafael Espinal, diretor executivo do sindicato dos freelancers nos EUA.

Os engenheiros de desenvolvimento de sistemas tiveram a maior diferença salarial das 67 funções analisadas no estudo, que revisaram milhares de perfis na plataforma Upwork de usuários que registraram pelo menos 100 horas de trabalho nos últimos seis meses. Engenheiros do sexo masculino cobravam, em média, mais de US$ 100 a mais por hora e ganharam mais de três vezes mais do que pares do sexo feminino.

Outros tipos de trabalho com as piores lacunas incluem administradores de sistema, profissionais de marketing por e-mail, desenvolvedores de sites de comércio eletrônico e testadores de automação.

O desequilíbrio é impressionante, especialmente porque quase três quartos das mulheres que optam por trabalhar de forma independente optam por fazê-lo para evitar o chamado teto de vidro, de acordo com uma pesquisa de 2018 da empresa de software de contabilidade FreshBooks.

Kellie McElhaney, diretora do centro para equidade, gênero e liderança da University de Berkeley, descobriu que seus colegas homens cobram de 40% a 60% a mais por serviços de consultoria do que ela. Um professor disse a ela que calcula o tempo que um projeto levará, leva em consideração sua tarifa horária e, em seguida, aumenta em 40%.

Ela se preocupa que se ela cobrar tanto, o tiro vai sair pela culatra. “Há um medo da minha parte de que eles vão pensar que eu sou absolutamente maluca se eu cobrar esse preço.”

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.