Carreira

Com 700 vagas abertas no Brasil, a Vivo mudou o jeito de recrutar

Muitas oportunidades são para a área de tecnologia para trabalhar com metodologias ágeis. O processo seletivo também está mais rápido

Vivo Digital Labs: recrutamento está mais rápido  (ARIANA ASSUMPÇÃO / Vivo/Divulgação)

Vivo Digital Labs: recrutamento está mais rápido (ARIANA ASSUMPÇÃO / Vivo/Divulgação)

Camila Pati

Camila Pati

Publicado em 23 de abril de 2019 às 10h18.

Última atualização em 20 de janeiro de 2020 às 11h55.

São Paulo - Mais rápido e transparente. É assim que a diretora Niva Ribeiro, VP de Pessoas da Vivo, define o novo jeito de recrutar e contratar novos funcionários que vem ganhando espaço na empresa.

Com mais de 700 oportunidades profissionais abertas, a Vivo, desde o ano passado, passou a utilizar inteligência artificial como aliada nas seleções.

Para as vagas de tecnologia e digital, redes e posições comerciais nas áreas de B2B e B2C, a Vivo adotou a plataforma digital desenvolvida pela Gupy, para o processo seletivo. A Gupy é uma startup de inteligência artificial que recebe investimentos por meio do próprio hub de inovação da Vivo, a Wayra.

Em termos práticos, a novidade é que os dias de espera pelo contato da equipe de RH para saber em que pé anda a seleção acabaram. “O candidato acompanha, pela plataforma, todas as etapas do processo”, diz Niva.

Como funciona a seleção

Ao cadastrar o currículo com as suas habilidades na plataforma Gupy, o candidato vai fazendo testes, como o de lógica, por exemplo, e cumprindo as etapas. A todo instante ele sabe exatamente em que etapa do processo seletivo ele se encontra, sem necessidade de aguardar o feedback. “Antes, o profissional precisava ligar ou ficava esperando o contato nosso, explica Fernando Luciano, diretor de Talentos e Inovação da Vivo.

Se o profissional for selecionado para a entrevista de emprego, pode até escolher o dia que prefere a partir das datas indicadas pelo gestor da vaga. “Isso cria uma independência e maior interação entre o gestor da vaga e o candidato”, diz Luciano.

A mudança encurtou em uma semana o tempo do processo seletivo. “Conseguimos reduzir em 30% o tempo de recrutamento, que antes levava 28 dias”, diz a VP da Vivo. A ideia é que até o fim do ano a Gupy seja a ferramenta oficial de atração de talentos de toda a empresa, que tem 33 mil funcionários.

Para os aprovados a oferta de emprego chega em vídeo personalizado, com todas as informações. A admissão também foi digitalizada, é só tirar foto dos documentos e enviar direto também por meio de uma plataforma, a Acesso RH. “Mas, se o candidato quiser falar com alguém, ele tem essa possibilidade e nós temos equipe para atende-lo”, garante Luciano.

Transformação digital: mais vagas na área de tecnologia

Passando por transformação digital, a Vivo tem um volume alto de oportunidades para quem é da área de tecnologia, segundo Luciano. Ele sugere aos profissionais interessados em trabalhar na empresa que acompanhem as publicações da Vivo no Linkedin.

“Essas oportunidades na área de TI são para trabalhar usando modelo ágil que tem como foco a eficiência. O profissional vai usar Scrum, Kanban, design thinking. São muitos desafios”, diz Luciano. Essa metodologia, tema da reportagem de capa da edição 250 da revista Você S/A, estimula a inovação e está ganhando o mercado.

Além, é claro de gostar de tecnologia, Niva diz que colaboração, flexibilidade e criatividade são características bastante valorizadas para essas posições. “Essas metodologias exigem também alta capacidade de trabalhar em equipe”, diz.

Acompanhe tudo sobre:Recrutamentovagas-de-empregoVivo

Mais de Carreira

Toda empresa tem employer branding?

BRF abre mais de 2 mil vagas de emprego em 14 estados do Brasil, veja os requisitos

As lições de carreira da ex-jogadora Hortência para profissionais de RH

Mais de 5 milhões de jovens não estudam e não trabalham no Brasil, diz Ministério do Trabalho

Mais na Exame