Carreira

4 competências e 5 desafios para as empresas serem mais inovadoras

Executivo com 20 anos de experiência em inovação fala sobre o papel do RH na área durante conferência da HR.Rocks

A semana teve fusões (Arezzo mais Reserva), separações (a Laureate recusou uma oferta da Ser e aceitou a da Ânima) e a estreia de uma nova operadora de plano de saúde (Qsaúde) (OstapenkoOlena/Getty Images)

A semana teve fusões (Arezzo mais Reserva), separações (a Laureate recusou uma oferta da Ser e aceitou a da Ânima) e a estreia de uma nova operadora de plano de saúde (Qsaúde) (OstapenkoOlena/Getty Images)

Luísa Granato

Luísa Granato

Publicado em 19 de maio de 2020 às 16h09.

Última atualização em 19 de maio de 2020 às 16h09.

“Não inovar é uma irresponsabilidade”, afirmou Eduardo Albuquerque, cofundador da Conquer Labs, braço de inovação da Escola Conquer, durante a conferência HR.Rocks nesta terça-feira, 19.

O executivo tem 20 anos de experiência em inovação e já liderou projetos na Sanofi, Philips e Natura. Ele também viveu 6 meses no Vale do Silício, estudando e experienciando a cultura de inovação.

Albuquerque citou grandes empresas que deixaram de olhar para seus produtos de forma inovadora e ficaram perdidos no tempo, como os celulares da Blackberry e seus pequenos teclados na era do iPhone, ou a Blockbuster com a devolução de fitas “rebobinadas” diante da revolução do streaming.

Segundo ele, esse é o primeiro grande desafio das empresas diante de choques com a nova cultura digital do mundo: deixar de empurrar suas soluções para o público e começar a solucionar problemas do mundo.

“E hoje estamos vivendo um monte de choques. O mundo da educação está se chocando, o mundo financeiro, da saúde... Todos no Brasil estão se chocando”, fala ele sobre o contexto atual da pandemia do novo coronavírus.

Para superar esses choques e encontrar boas soluções, ela acredita que não nos falta tecnologia, mas existe uma barreira cultural que dificulta que as empresas encontrem essas saídas com agilidade.

“Nos falta adaptar o comportamento das pessoas e das empresas”, disse ele.

Albuquerque listou as competências e desafios principais que os negócios deveriam focar para transformar a mentalidade e se inserir no mundo digital.

Além da solução de problemas reais, ele fala que as empresas precisam se adequar a um modelo descentralizado de inovação, à necessidade acelerada de desenvolver novos conhecimentos, às metodologias ágeis para execução rápida de projetos e exigência de estruturas hierárquicas mais flexíveis.

Para lidar com esses cinco desafios, ele recomenda que quatro competências podem ser cultivadas nas empresas para mudar a mentalidade dos colaboradores e dar ferramentas a eles para lidar com cenários incertos e mutáveis. São:

  • Empatia
  • Colaboração
  • Adaptabilidade
  • Vulnerabilidade

A palestra completa está disponível de graça e online para quem se cadastrar no evento da HR.Rocks! pelo site. A conferência começou nesta terça-feira e vai até a quinta-feira, dia 21.

A programação traz grandes executivos e especialistas da área de Recursos Humanos, que apresentam novas ideias, tendências e soluções reais de negócios.

Com parceria da EXAME, cada dia terá o fechamento com palestra ao vivo, às 20h, com a Cia de Talentos e o CEO da Qulture.Rocks, Francisco S. Homem de Mello.

Confira mais informações sobre a HR.Rocks:

Acompanhe tudo sobre:EventosInovaçãoLiderançaRecursos humanos (RH)

Mais de Carreira

Ipiranga abre inscrições para programa de estágio com vagas afirmativas, veja os requisitos

Nos Estados Unidos, famílias montam fundos 'hedge' na despensa de mantimentos

Polywork: conheça a tendência que faz parte da vida do ator Marcello Antony

TIM abre 145 vagas para o Programa de Estágio 2024

Mais na Exame