Preço é o principal atrativo para comprador de imóvel, diz estudo

Pesquisa realizada com 5 mil investidores mostra também que apenas 11% buscam apartamentos na planta ou em construção
Imóveis usados são mais procurados em relação aos novos (Foto/Wikimedia Commons)
Imóveis usados são mais procurados em relação aos novos (Foto/Wikimedia Commons)
Por BússolaPublicado em 07/07/2021 11:37 | Última atualização em 07/07/2021 11:37Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Levantamento realizado pela startup Apê 11 com 5 mil investidores imobiliários revela que o preço atrativo é hoje o fator determinante na compra e venda de imóveis residenciais.

De acordo com o estudo, 43% dos interessados buscam imóveis com preços abaixo dos praticados na mesma região; 22% mostram interesse pelas unidades que baixaram de preço nos últimos 60 dias; 18% por remanescentes de incorporadoras; 11% por apartamentos na planta ou em construção e, 6%, por aqueles que precisam de reforma.

Desde o final de janeiro, a Apê11 disponibilizou uma ferramenta de uso gratuito para investidores imobiliários, que conseguem fazer pesquisas em diferentes teses de investimento. Os dados dos perfis preferidos originam-se do uso da ferramenta desde então.

“Para morar ou para investir, o comprador procura por boas oportunidades e os imóveis usados estão na preferência do investidor, em uma proporção de aproximadamente 70% x 30% em relação aos novos” afirma Leonardo Azevedo, sócio-diretor da Apê 11, balcão digital de negócios imobiliários.

Segundo ele, com a retomada do mercado, investir em imóveis voltou a ser financeiramente mais atrativo por conta dos baixos rendimentos das aplicações financeiras em geral. “E isso se reflete nos números da empresa. Em 2020, a Apê11 cresceu mais de dez vezes em relação a 2019, mesmo ritmo de crescimento observado no primeiro trimestre de 2021 quando comparado com o mesmo período do ano passado”, diz o sócio-diretor.

 

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube