Bússola
Um conteúdo Bússola

Joel Jota: O ambiente ajuda a saber a cultura e o propósito da sua empresa

Um ambiente propício para o sucesso está diretamente relacionado com as pessoas que vivem nele, ou seja, indivíduos com propósitos claros e atitudes condizentes

Há quatro tipos de ambiente de trabalho (ljubaphoto/Getty Images)

Há quatro tipos de ambiente de trabalho (ljubaphoto/Getty Images)

Joel Jota
Joel Jota

Colunista Bússola

Publicado em 18 de janeiro de 2023 às 12h00.

Última atualização em 13 de outubro de 2023 às 20h30.

Entenda por ambiente qualquer ponto interno ou externo de um ser humano, e não apenas um local físico propriamente dito, mas, sobretudo, pelas pessoas que o compõe. São elas os principais agentes transformadores de qualquer ambiente. Não se trata de estar num grande hotel, país ou sala comercial. Um ambiente propício para o sucesso da sua empresa está diretamente relacionado com as pessoas que vivem nele, ou seja, indivíduos com propósitos claros e atitudes condizentes.

Compartilhar a mesma cultura em busca de um sonho em comum é o que traz a união dos colaboradores. E é o que vai fazer seu negócio se destacar no mercado. Meu intuito aqui não é te mostrar o que você está fazendo de errado, mas sim te ajudar a implementar de forma mais assertiva a cultura e o propósito do seu negócio, que tenho certeza, que assim como o meu, começou com um sonho próprio.

Como nós, os nossos colaboradores também têm sonhos, nosso papel é saber o deles para assim sabermos se poderemos ajudá-los nesse percurso, afinal, um funcionário com cultura vale mais que um funcionário somente com técnica.

Digo isso, pois implementando cultura, você e seus colaboradores conseguirão visualizar a diferença entre errar e falhar. O erro precede uma incompetência prévia, ou seja, a pessoa não sabia que não sabia. Já uma falha precede uma competência prévia, ou seja, a pessoa sabia que deveria fazer algo (ou que não deveria fazer algo) e mesmo assim falha. Essa negligência, um simples erro de cultura presente, é matadora em muitos dos casos, podendo gerar um risco para o ambiente da sua empresa, e automaticamente, para os seus negócios.

Na minha jornada, tanto como CLT quanto CEO, eu percebi que temos quatro tipos de ambiente de trabalho:

Acolhimento: Refere-se a relacionamentos e confiança mútua. O ambiente de trabalho é um local caloroso, onde as pessoas ajudam e apoiam umas às outras. Os líderes enfatizam a sinceridade, o trabalho em equipe e os relacionamentos positivos. Empresa de referência nesse estilo: Disney.

Propósito: Caracteriza-se por idealismo e altruísmo. O ambiente de trabalho é tolerante, solidário, as pessoas tendem a fazer o bem pelo futuro da humanidade. Os líderes enfatizam ideias comuns e contribuem para uma causa maior. Empresa de referência nesse estilo: Whole Foods.

Aprendizado: Diz respeito a exploração, expansividade e criatividade. O ambiente de trabalho é inovador e liberal. As pessoas lançam ideias novas e exploram alternativas. Os líderes enfatizam o conhecimento, a inovação e a aventura. Empresa de referência nesse estilo: Tesla.

Prazer: É expresso por meio de divertimento e empolgação. O ambiente de trabalho é um local despreocupado, onde as pessoas tendem a espontaneidade e o senso de humor. Empresa de referência nesse estilo: Zappos.

Ao identificar qual ambiente sua empresa se encaixa, é preciso pensar no seguinte trecho de Napoleon Hill: "É impossível que duas mentes se unam sem que se crie, consequentemente, uma terceira força invisível, intangível, comparável à terceira mente. Uma vez que tenha definido o seu propósito, você precisará buscar a aliança de uma ou mais pessoas, num espírito de absoluta harmonia, para formar uma Mente Mestra.”

A partir disso, quero te passar algumas dicas que coloco em prática dentro da minha empresa, para você colocar na sua. Esse ano que está começando e que precisamos mais do que nunca de cultura e propósito alinhados sugiro colocar em prática os seguintes pontos:

  • Jogue para vencer, em vez de simplesmente competir. Defina o que é vencer em seu contexto e imagine o cenário de um futuro brilhante e bem-sucedido para a organização.

 

  • Crie aspirações que sejam significantes e poderosas para os funcionários e consumidores; não se trata de encontrar a linguagem perfeita ou a visão de consenso, mas de entender a razão da organização existir.

 

  • Comece com os consumidores ao invés de produtos, ao pensar sobre o que significa vencer. Compartilhe esse ideal com os funcionários, para juntos colocarem em prática a Mente Mestra.

 

  • Defina ambições vencedoras para suas funções internas e para as linhas de negócios e marcas competitivas. Pergunte: O que é vencer para essa atividade? Quem são seus clientes? O que significa vencer com eles?

 

  • Reflita sobre como vencer a concorrência junto com seus colaboradores. Eleja seus concorrentes tradicionais e procure também concorrentes inesperados.

Essa autoanálise e prática ajudará sua empresa a focar no objetivo, construir as oportunidades para alcançá-lo e ainda elevará a capacidade de percepção dos seus funcionários no dia a dia

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Glaucia Guarcello: 5 tendências e fontes de inovação para 2023

ESG direciona decisão de 99% dos investidores no Brasil, diz pesquisa

Crescimento econômico só traz felicidade se acompanhado de propósito social

Acompanhe tudo sobre:Empresasgestao-de-negociosRecursos humanos (RH)Cultura

Mais de Bússola

Gestão Sustentável: excesso de curto prazo quebra negócios e gera crises sistêmicas 

Bússola e Cia: uso da IA em fraude cresce no país

Apple? Microsoft? Não. Entenda como IA fez Nvidia garantir o posto de empresa mais valiosa do mundo 

3 passos para unificar a cultura organizacional após processos de fusão e aquisição

Mais na Exame