Um conteúdo Bússola

Healthtech lança escalas de avaliação de segurança psicológica e burnout

Com burnout classificado como doença ocupacional, Vittude traz soluções que apoiam empresas na identificação e intervenção precoce de casos
Os dois produtos impactam diretamente o RH e a segurança do trabalho (FG Trade/Getty Images)
Os dois produtos impactam diretamente o RH e a segurança do trabalho (FG Trade/Getty Images)
B
Bússola

Publicado em 24/06/2022 às 17:30.

Última atualização em 24/06/2022 às 17:49.

Em 2020, segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o afastamento por transtornos mentais bateu recordes, sendo 26% maior do que em 2019, com o total de 576 mil casos.

Outro fator alarmante para as empresas foi a oficialização do burnout como doença ocupacional desde 1º de janeiro deste ano. Em casos mais graves, o burnout pode acarretar aposentadorias por invalidez.

A Vittude, plataforma de desenvolvimento de programas de saúde mental para empresas, observa a alta demanda por cuidado psicológico no ambiente corporativo. Por isso, a scale-up lança duas soluções de diagnóstico: a Escala Vittude de Percepção de Segurança Psicológica e a Escala Vittude de Estresse e Propensão à síndrome de Burnout.

Os dois novos produtos tem o objetivo de auxiliar lideranças de recursos humanos, saúde e segurança do trabalho na identificação e intervenção precoce de possíveis casos de adoecimento em saúde mental.

“Com o início da pandemia percebemos o aumento na procura das empresas por programas de saúde no trabalho. O brasileiro, bem como o mundo todo, passou por uma situação sem precedência e totalmente sem previsibilidade. E as empresas precisam estar atualizadas em relação a estas demandas tão urgentes”, afirma Tatiana Pimenta, CEO e fundadora da healthtech.

Os lançamentos consideram características intrínsecas à cultura brasileira para medir a relação entre o colaborador e a segurança psicológica e nível de estresse/burnout. A escala focada em segurança psicológica contempla cinco dimensões: pertencimento, suporte, equidade, autonomia e saúde mental. Já a focada em estresse e propensão à síndrome de burnout considera os três principais aspectos que sinalizam o distúrbio: esgotamento, baixa realização profissional e despersonalização.

Após o colaborador realizar um teste com 15 questões, o resultado é enviado e analisado pela área de psicologia da scale-up, com os pontos de atenção e gráficos de evolução, permitindo à empresa uma atuação de maneira preventiva.

“A oficialização do burnout como doença de trabalho acarreta uma série de responsabilidades e riscos para as empresas, pois além de indenizações, os casos graves podem acarretar aposentadoria por invalidez. As Escalas vêm para ajudar e atuar na identificação e tratamento, para que colaboradores e empresas não sofram deste mal”, afirma Maíra Gracini, CRO da Vittude.

Ambos os lançamentos garantem anonimato e sigilo profissional, preservando a autoimagem, status e carreira do respondente.

“Acreditamos que o investimento na criação e melhoria de programas sólidos de saúde mental pautados em pilares como Diagnóstico, Educação e Psicoterapia — será cada vez mais crítico. Podemos fazer até uma analogia de que programas de saúde mental serão o novo EPI (equipamento de proteção individual) para colaboradores e empresas do futuro", completa a CEO Tatiana Pimenta.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | YouTube

Veja também