• AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,38 -2.17
  • ABCB4 R$ 17,15 3.25
  • ABEV3 R$ 14,13 -0.63
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,14 1.70
  • ALPA4 R$ 21,03 0.43
  • ALSO3 R$ 19,51 0.83
  • ALUP11 R$ 26,59 0.72
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,46 -2.34
  • AMER3 R$ 23,54 2.57
  • AMZO34 R$ 68,33 0.96
  • ANIM3 R$ 5,54 0.00
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,43 0.19
  • AZUL4 R$ 21,29 0.28
  • B3SA3 R$ 11,69 1.21
  • BBAS3 R$ 35,69 -0.61
  • AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,38 -2.17
  • ABCB4 R$ 17,15 3.25
  • ABEV3 R$ 14,13 -0.63
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,14 1.70
  • ALPA4 R$ 21,03 0.43
  • ALSO3 R$ 19,51 0.83
  • ALUP11 R$ 26,59 0.72
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,46 -2.34
  • AMER3 R$ 23,54 2.57
  • AMZO34 R$ 68,33 0.96
  • ANIM3 R$ 5,54 0.00
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,43 0.19
  • AZUL4 R$ 21,29 0.28
  • B3SA3 R$ 11,69 1.21
  • BBAS3 R$ 35,69 -0.61
Abra sua conta no BTG

Conheça a receita havaiana que virou sucesso de vendas e venceu a pandemia

Antigos clientes tornaram-se donos da Aloha Breads, que triplicou a produção em 2021 e planeja crescer ainda mais
Banana bread é a receita mais procura na Aloha Breads e no Google Trends (Divulgação/Aloha Breads)
Banana bread é a receita mais procura na Aloha Breads e no Google Trends (Divulgação/Aloha Breads)
Por BússolaPublicado em 20/12/2021 15:00 | Última atualização em 20/12/2021 15:12Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Se a pandemia atrapalhou várias empresas, a Aloha Breads foi na direção oposta e triplicou sua produção nos últimos dois anos. Fundada em 2017, a Aloha Breads, pioneira na produção de banana breads no Brasil, fornecia seus produtos para cafeterias boutiques de São Paulo e consumidores finais.

Com o fechamento do comércio para prevenção à covid-19, focou em vender diretamente ao consumidor final. Como resultado, o faturamento também triplicou. Em 2019, vendia cerca de 200 breads por mês, em 2020 passou a entregar 400 breads por mês e, em 2021, a produção mensal ultrapassou mil breads.

Em 2021, Cleicí Tavares e Luiz Café passaram de clientes a donos da Aloha Breads, quando os fundadores resolveram vender a marca e se mudar para outro país. Neste mesmo ano, mais que dobraram a produção e, com o crescimento, receberam um aporte para o aumento da capacidade produtiva. O casal se apaixonou pelo sabor e pela essência do Banana Bread Havaiano e tem grandes planos para o futuro da marca.

Crescimento

A história da Aloha Breads começou com uma viagem dos fundadores à ilha de Maui, onde conheceram e aprenderam a receita com uma nativa. Hoje, além do típico Banana Bread Havaiano, a empresa oferece 13 receitas exclusivas, incluindo versões veganas, sabores que levam farinha de amêndoa, óleo de coco e adoçados com tâmara, entre outros ingredientes. No mundo, o banana bread também faz sucesso. De acordo com o Google Trends, a receita do banana bread foi a sétima mais procurada em 2020.

Com vendas principalmente pelo Instagram, a Aloha começou 2021 com dois mil seguidores e, hoje, já tem mais de seis mil. Cleicí garante que as boas vibrações havaianas são o maior diferencial dos produtos. “Essa essência nativa é o que mais me encanta. Me remete à minha infância no meio da floresta amazônica, à liberdade de viver na natureza e aproveitar sabores e sensações únicas. Não é somente comida boa, queremos levar uma experiência de leveza e bem-estar ao compartilhar os Breads Aloha e aquecer o coração das pessoas com apenas uma mordida”, afirma.

Cleicí Tavares é advogada, nascida e criada no Rio Unini, uma reserva extrativista na floresta Amazônica. Ela se apaixonou pela vibe da Aloha e hoje está à frente do negócio. Lidera a equipe e toda a estratégia da empresa. Conta com a parceria de Luiz Café, seu companheiro e sócio. Café é intermediador de negócios e atua no mercado de inovação corporativa. Segundo ele, juntos adquiriram a marca, de quem eram fãs e clientes. “De lá pra cá, incorporar a essência da Aloha não foi um problema, desde que provamos um banana bread nos apaixonamos e, com a oportunidade, foi só fazer da paixão um negócio ainda mais delicioso”, diz.

O plano dos sócios é trabalhar para que essa energia chegue longe. “Nosso foco é que, além do sabor do banana bread, as pessoas curtam um momento doce, sereno e que compartilhem o espírito aloha. Também buscamos construir uma marca em cima de pilares como bem-estar, sustentabilidade e diversidade”, declara Cleicí.

A entrada de Luiz Café, com sua experiência no mercado de inovação e sua paixão pelo negócio da Aloha, trouxe para a empresa o ritmo e a metodologia das startups. Para 2022, além de lançar, em janeiro, o banana bread com castanhas da Amazônia, produzido com insumos da Coomaru — Cooperativa Mista Agroextrativista do Rio Unini/AM, o plano da empresa é expandir para lojas físicas e fechar parcerias com novos players em todo o país. Quanto à produção, a empresa se prepara para chegar a 35 mil breads por mês.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também