Brasil

Vai ter greve do Metrô de SP? Sindicato se reúne na quarta para decidir sobre paralisação

Essa será a segunda assembleia em menos de um mês para discutir uma paralisação em meio à campanha por aumento de salário

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 3 de junho de 2024 às 16h36.

Última atualização em 5 de junho de 2024 às 19h30.

O sindicato dos metroviários vai se reunir na próxima quarta-feira, 5, para avaliar a proposta salarial apresentada pelo Metrô e deliberar sobre uma possível greve na quinta-feira, 6, caso o pleito dos servidores não seja atendido.

Essa será a segunda assembleia em menos de um mês para discutir uma paralisação em meio a campanha por aumento de salário. No último dia 21 de maio, a categoria recuou após uma carta apresentada pelo Metrô atender parte das reivindicações dos trabalhadores. O sindicato e o governo do estado tiveram uma reunião de conciliação na Justiça do Trabalho.

Pedido de aumento acima da inflação

Os metroviários pedem um aumento salarial acima da inflação, reajuste dos vales refeição e alimentação, recontratação de funcionários demitidos na última greve e a realização de concursos públicos para aumentar o quadro da empresa.

O Metrô realizou um aumento 2,77% (inflação medida pelo IPC-Fipe), apontado como insuficiente pelos trabalhadores.nO sindicato afirma que tem buscado diálogo com o Metrô e com o governo Tarcísio de Freitas. Desde da ultima sinalização de greve, representantes dos servidores e da companhia têm se reunido para discutir as reinvidicações. O Metrô vai apresentar uma proposta de reajuste no dia 5 de junho, data da assembleia do sindicato.

"Metroviárias e metroviários realizam um serviço de excelência, reconhecido pela população pelo sétimo ano consecutivo como o melhor serviço público de São Paulo. Mesmo com o quadro de funcionários reduzido. Por isso, merecem respeito. São exatamente dois meses desde quando a empresa teve contato com as reivindicações e, após cinco rodadas, a empresa ainda não apresentou nenhuma proposta", diz a categoria em nota.

Acompanhe tudo sobre:Metrô de São PauloMetrôsGreves

Mais de Brasil

Manifestantes voltam à Avenida Paulista para ato contra o PL do Aborto

Greve nas universidades federais: o que reivindicam os professores e quais são as ofertas do governo

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Mais na Exame