Brasil

Shows do RBD: Polícia de SP recupera 823 celulares e apura ligação com roubos

A polícia investiga se parte dos celulares recuperados foram furtados em shows do grupo mexicano RBD, que esteve na capital nos últimos dias

Como mostrou o Estadão, pelo menos 15 pessoas prestaram queixa por furto somente no show realizado no último dia 12 no Morumbi (Supatman/Getty Images)

Como mostrou o Estadão, pelo menos 15 pessoas prestaram queixa por furto somente no show realizado no último dia 12 no Morumbi (Supatman/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 21 de novembro de 2023 às 20h58.

A Polícia Civil de São Paulo recuperou 823 celulares em operação realizada nesta terça-feira, 21, em endereços no centro da capital paulista. A maioria foi localizada na Rua dos Guaianases em Santa Ifigênia. O local é considerado o epicentro da receptação de celulares na cidade. Foram apreendidos ainda 30 aparelhos de outros tipos, entre tablets, smartwatches e notebooks.

Agora, a polícia investiga se parte dos celulares recuperados foram furtados em shows do grupo mexicano RBD, que esteve na capital nos últimos dias - foram seis apresentações no total, duas delas no estádio do Morumbi, na zona sul, e outras quatro no Allianz Parque, na zona oeste.

Como mostrou o Estadão, pelo menos 15 pessoas prestaram queixa por furto somente no show realizado no último dia 12 no Morumbi, quando também houve relatos de arrastão na saída do estádio. No caso do Allianz Parque, foram outras 13 ocorrências de roubo contabilizadas na apresentação de sexta-feira, 17, segundo balanço da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

"A grande parte dos telefones apreendidos, telefones furtados e roubados, vem de shows ou aglomeração de pessoas", diz o delegado Wagner Carrasco, titular da 1.ª Delegacia Antipirataria do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

A Polícia Civil, explica ele, ainda apura a origem da maior parte dos aparelhos, mas já há indícios de que parte deles foi subtraída em shows da banda mexicana. "Chegou aqui uma vítima que ela e o amigo foram vítimas no show do Rebelde (RBD)", afirma o delegado.

A operação realizada nesta terça, denominada Off Line 2, envolveu cerca de 50 agentes. Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, a maior parte deles em quartos de pensões da Rua dos Guaianases, alvo frequente de operações da Polícia Civil contra a receptação de celulares.

"A gente está com essa investigação há um ano. Só nesse período, já foram realizadas três operações na Rua dos Guaianases", diz Carrasco. Como mostrou o Estadão, ação realizada pela polícia por lá em agosto resultou na prisão de um homem apontado pela polícia como "o maior receptador de celulares" do País. Foram encontrados 312 aparelhos em um endereço ligado a ele.

Dois suspeitos foram presos em flagrante

Nesta terça, além da Rua dos Guaianases, foram cumpridos mandados em endereços no Largo do Arouche e na Avenida da Liberdade. Duas pessoas foram presas em flagrante: um homem senegalês, de 35 anos, e uma mulher brasileira, de 23. As investigações continuam para identificar outros suspeitos.

Para quem teve um celular roubado e quer saber se o aparelho está entre os apreendidos, o caminho indicado pela Polícia Civil é registrar boletim de ocorrência. "Se a pessoa registrou boletim de ocorrência, nós vamos achar o Imei (código identificador) do celular da pessoa e vamos entrar em contato com ela", afirma o delegado Wagner Carrasco.

Em relação às ocorrências no show no Allianz Parque, a Polícia Civil disse, em nota, que todas as 13 ocorrências de furtos e roubos de celulares foram encaminhados ao 23° DP (Perdizes), onde são investigadas. "A equipe da unidade está empenhada e realiza diligências para a localização dos autores dos crimes, bem como pela recuperação dos aparelhos subtraídos".

Sobre os casos registrados no entorno do estádio do Morumbi, a Secretaria de Segurança Pública informou, em nota enviada à reportagem na última semana, que um homem foi preso por policiais com quatro celulares roubados. A SSP negou que tenha havido arrastão na saída do estádio.

"Imagens que circularam nas redes sociais indicando a atuação de vários criminosos, em uma ação conhecida por ‘arrastão’, se devem à movimentação de pessoas que começaram a correr com a presença de dois criminosos que estavam roubando telefones celulares", disse o texto. A pasta afirmou que, a partir de então, reforçou o policiamento no entorno de estádios que receberiam show.

Acompanhe tudo sobre:Shows-de-músicaPolícia Civil

Mais de Brasil

STF dá 5 dias para Tarcísio e Alesp explicarem reembolso de procuradores por 'excesso de trabalho'

Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação

Irmã de Juscelino Filho também é indiciada pela PF em inquérito sobre suposto desvio de emendas

O que diz o projeto de lei que equipara aborto após a 22ª semana a homicídio

Mais na Exame