Acompanhe:

A fuga de dois presos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, completa uma semana nesta terça-feira. Desde então, já foram identificadas diversas pistas deixadas por Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça, como pegadas, peças de roupa, a interceptação de telefonemas e até mesmo o arrombamento de casas na região do presídio, com uma família feita de refém. No entanto, os dois criminosos seguem em fuga e as buscas continuam, reunindo aproximadamente 500 homens, três helicópteros e drones com visão noturna.

De acordo com os investigadores, os dois fugitivos fizeram uma família refém na noite da última sexta-feira. Eles invadiram uma casa na área rural da cidade, pediram comida, queriam ver notícias sobre a fuga e roubaram celulares. A dupla ficou no local por cerca de quatro horas, não pediu dinheiro e fugiu a pé. Não houve violência com os reféns. A dupla chegou pelo mato por volta das 19h30 de sexta-feira e deixou a casa 0h30 de sábado. Ao invadirem a casa, falaram que queriam comida e celular. Em uma sacola plástica, levaram alimentos, ovo cozido e outros itens, ambos não estavam de mochila.

Também levaram dois celulares com carregadores e pediram a senha para destravar o telefone. Mandaram ainda a família abrir as redes sociais nos telefones para que eles pudessem ver notícias da fuga e pediram para assistir o Jornal Nacional. Ao longo de quatro horas, fizeram várias ligações pelo WhatsApp, algumas delas para números com DDD 21. Do outro lado da linha, o interlocutor tinha sotaque e mencionou que estava no Rio de Janeiro.

Na madrugada de quinta-feira, um sítio no Rancho da Caça, localizado a sete quilômetros do presídio, foi arrombado. Os invasores percorreram a distância a pé e pegaram no local pacotes de biscoito, roupas, tênis, melancia, queijo, pão de forma, margarina e fósforo. Como a fuga do presídio e a invasão à casa aconteceram em um intervalo de poucas horas, as forças policiais acreditam que os eventos estão relacionados.

Duas camisas, uma rede e rastros de sapatilhas semelhantes às usadas pelos internos no presídio federal, uma toalha e um lençol foram encontrados em uma área da Serra de Mossoró, a 11 quilômetros do presídio, na madrugada desta sexta. Os dois presos também foram vistos por moradores da região. Estas pistas ajudam a montar o percurso que Deibson e Rogério teriam feito após escaparem e supostamente invadirem o sítio.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Lei das saidinhas: o que muda para os presos com sanção de Lula
Brasil

Lei das saidinhas: o que muda para os presos com sanção de Lula

Há 15 horas

STF proíbe abordagem policial com base em raça, sexo, orientação sexual ou aparência física
Brasil

STF proíbe abordagem policial com base em raça, sexo, orientação sexual ou aparência física

Há um dia

Lula veta trecho sobre visita a parentes na lei que restringe 'saidinha' de presos
Brasil

Lula veta trecho sobre visita a parentes na lei que restringe 'saidinha' de presos

Há um dia

Nunes assina decreto que suspende aumento de radares de trânsito em São Paulo
Brasil

Nunes assina decreto que suspende aumento de radares de trânsito em São Paulo

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais