Brasil

Prefeitura do Rio avalia redução do intervalo da vacina da Pfizer

O prazo menor entre as duas doses seria uma maneira de tentar conter o avanço da variante Delta da Covid-19

 (Dado Ruvic/Reuters)

(Dado Ruvic/Reuters)

AO

Agência O Globo

Publicado em 27 de julho de 2021 às 08h20.

Última atualização em 27 de julho de 2021 às 13h07.

A Prefeitura do Rio ainda não decidiu se vai adotar a redução no intervalo da vacina da Pfizer contra a Covid-19. Nesta segunda-feira, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, informou que a pasta diminuirá o tempo entre a aplicação das duas doses dos atuais três meses para 21 dias. A medida deve ser oficializada até o fim desta semana.

  • Quer saber tudo sobre o desenvolvimento e eficácia de vacinas contra a covid-19? Assine a EXAME e fique por dentro.

Procurada pelo GLOBO, a Secretaria municipal de Saúde afirmou que, caso o ministério confirme a intenção, "avaliará a proposta". O prazo de 21 dias obedece o que consta na bula da Pfizer. O prazo menor entre as duas doses seria uma maneira de tentar conter o avanço da variante Delta da doença, que já causou mortes no estado do Rio e é apontada por especialistas como mais contagiosa.

Na última sexta-feira, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, já havia dito que a cidade estuda a possibilidade de encurtar o intervalo entre as duas doses de vacina contra a Covid-19 para acelerar a imunização completa da população da cidade. Isso só aconteceria, contudo, após a vacinação com a primeira dose de toda a população carioca.

Como o GLOBO já mostrou, um ciclo vacinal mais curto, com um intervalo menor entre as duas doses da vacina da AstraZeneca, será testado na Ilha de Paquetá, alvo de experimento científico conduzido pela Fundação Oswaldo Cruz. A população do bairro, que foi totalmente vacinada no último dia 20, receberá a injeção de reforço dois meses após a primeira aplicação. No restante da cidade o intervalo é de três meses.

Nesta segunda-feira, o prefeito Eduardo Paes anunciou que a vacinação contra a Covid-19 na cidade do Rio será retomada na próxima quarta. Pelo Twitter, Paes informou ainda que as idades que seriam atendidas ao longo desta semana no planejamento anterior estão mantidas — o cronograma havia sido suspenso na última sexta por conta do atraso no envio de doses por parte do Ministério da Saúde.

Assim, pessoas de 34 anos poderão ser vacinadas na própria quarta, sendo mulheres de manhã e homens à tarde. Na quinta-feira, é a vez das mulheres de 33 anos, enquanto homens da mesma idade devem ir até os postos na sexta. Tanto a quinta quanto a sexta-feira também servirão, à tarde, para a repescagem de quem tem 34 anos ou mais, assim como no sábado poderá ser vacinado qualquer um com 33 anos ou mais.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusPfizerRio de JaneiroVacinas

Mais de Brasil

RS: eleitor tem até quinta-feira para regularizar ou transferir título

Governo flexibiliza Lei de Licitações para casos de calamidade como o Rio Grande do Sul

Sobe para 157 número de mortos devido às fortes chuvas no RS; veja serviços parados

Fortes chuvas devem atingir Sul e Nordeste; RS deve enfrentar frio intenso

Mais na Exame