Brasil

PF indicia senador do DEM por propina na obra do estádio de Natal

José Agripino teria recebido R$ 2 mi da OAS em troca de auxílio para liberação de recursos do BNDES na construção da Arena das Dunas para a Copa de 2014

José Agripino: investigação teve como base depoimentos em delação premiada do doleiro Alberto Youssef e de seu sócio Rafael Angulo Lopez (Elza Fiúza/AGÊNCIA BRASIL/Agência Brasil)

José Agripino: investigação teve como base depoimentos em delação premiada do doleiro Alberto Youssef e de seu sócio Rafael Angulo Lopez (Elza Fiúza/AGÊNCIA BRASIL/Agência Brasil)

R

Reuters

Publicado em 22 de agosto de 2017 às 09h10.

A Polícia Federal indiciou o senador José Agripino (DEM-RN) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro devido ao recebimento de propina da empreiteira OAS em troca de auxílio político para liberação de recursos do BNDES voltados à construção da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014, informou a PF na noite de segunda-feira.

"O recebimento das vantagens ilícitas se deu tanto por meio de doações eleitorais oficiais, que foram direcionadas ao diretório, como por meio de repasses em espécie, que transitaram por contas do próprio investigado e também por contas de familiares, entre os anos de 2012 a 2014, totalizando a quantia de pelo menos 2 milhões de reais", disse a polícia em comunicado.

Além do senador, que é o atual presidente do DEM, também foram indiciados pela PF o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro, e Carlos Thompson Costa Fernandes, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte à época dos fatos.

Segundo a Polícia Federal, a investigação teve como base depoimentos em delação premiada do doleiro Alberto Youssef e de seu sócio Rafael Angulo Lopez, além da análise de mensagens de texto extraídas do telefone celular de Leo Pinheiro, quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados e depoimentos de diversas pessoas.

Por ter um senador da República entre os alvos, o inquérito corre dentro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Não foi possível fazer contato de imediato com os indiciados.

A construção do estádio de Natal para a Copa do Mundo, que custou cerca de 400 milhões de reais, também é alvo de outra investigação da PF que resultou na prisão em junho do ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Acompanhe tudo sobre:Copa do MundoCorrupçãoDemocratas (DEM)Natal (RN)Rio Grande do NorteSenado

Mais de Brasil

Ouvidoria INSS: como fazer reclamação ou denúncia pelo telefone

Mais de 626 mil pessoas ainda estão fora de casa no Rio Grande do Sul

Ainda afetado por cheias, metrô volta a operar na grande Porto Alegre

Prefeitura de SP vai fechar parques quando houver previsão de chuvas fortes

Mais na Exame