Brasil

Pasta da Saúde fecha acordo com Moderna para compra de 12,5 milhões de vacinas contra covid

Farmacêutica ganhou a licitação emergencial contra a Pfizer. Imunizantes devem chegar à população nas próximas duas semanas

Covid-19: Brasil terá 12,5 milhões de doses nas próximas semanas (Issam Ahmed/AFP)

Covid-19: Brasil terá 12,5 milhões de doses nas próximas semanas (Issam Ahmed/AFP)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 22 de abril de 2024 às 13h18.

O Ministério da Saúde fechou um acordo com a Moderna para comprar 12,5 milhões de vacinas atualizadas contra covid-19 na sexta-feira, 19, após a farmacêutica ganhar da Pfizer em disputa por licitação emergencial. Os imunizantes deverão chegar à população nas próximas duas semanas, informou a pasta em comunicado à imprensa, depois que entraves judiciais relacionados à licitação atrasaram o início da campanha nacional de vacinação.

Essa foi a primeira vez que empresas concorrentes disputaram o fornecimento de vacinas contra a covid-19 no Brasil, segundo o MS. "Todas as aquisições anteriores foram feitas em um ambiente sem concorrência. A medida possibilitou uma economia de R$ 100 milhões, dada a diferença de preço entre as duas propostas apresentadas", destacou a pasta.

As novas vacinas vão atender à campanha de imunização que a princípio começaria em março. O atraso, disse o ministério à época, foi causado por um impasse entre Pfizer e Moderna, que brigavam na Justiça por divergências no pregão de compra, como informou o Estadão.

A nova vacina da Moderna foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da vacina covid-19 da Moderna no mês passado. O imunizante "codifica a proteína spike da sub-linhagem XBB.1.5 do SARS-CoV-2 para imunização ativa para a prevenção de covid-19 em crianças a partir dos seis meses de idade e adultos", disse a farmacêutica em comunicado publicado nesta segunda-feira, 22.

Acompanhe tudo sobre:Vacinasvacina contra coronavírusCoronavírus

Mais de Brasil

Polícia prende ao menos 60 suspeitos por crimes como assaltos e saques em meio às chuvas no RS

Aeroporto de Rio Grande é reaberto para operações de resgate e voos humanitários

Duas barragens no Rio Grande do Sul seguem em nível de emergência

Dinheiro, comida e água: o que os governos estaduais já doaram para o Rio Grande do Sul

Mais na Exame