Acompanhe:

Onyx vai propor prorrogação de atuação das Forças Armadas na Amazônia

Garantia de Lei e Ordem, que permite a atuação militar nos estados, foi assinada por Bolsonaro em agosto e tem validade apenas até setembro

Modo escuro

Continua após a publicidade
Onyx Lorenzoni: ministro falou sobre expandir tempo de atuação das Forças Armadas na Amazônia (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

Onyx Lorenzoni: ministro falou sobre expandir tempo de atuação das Forças Armadas na Amazônia (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

A
Agência Brasil

Publicado em 3 de setembro de 2019 às, 18h10.

Última atualização em 3 de setembro de 2019 às, 18h13.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta terça-feira (3) que vai propor ao presidente Jair Bolsonaro a prorrogação da presença das Forças Armadas na Amazônia por, pelo menos, mais um mês, até outubro. No dia 23 de agosto, Bolsonaro autorizou uma operação de Garantia de Lei e Ordem (GLO), que ganhou o nome de GLO Ambiental, para que os militares atuem no combate aos incêndios na floresta amazônica. O prazo da ação se encerra em 24 de setembro.

"Fizemos o primeiro enfrentamento pontual nas áreas onde tivemos incêndios, mas é muito importante que se combata as causas, que estão ligadas à questão do desmatamento ilegal, do garimpo ilegal", disse Onyx, após reunião com os governadores dos estados da Amazônia ocidental (Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima), em Manaus.

De acordo com Onyx, as equipes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que atuam na fiscalização, também precisam do suporte das Forças Armadas na preservação da floresta.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que Ibama e ICMBio também precisam de suporte - Antonio Cruz/ Agência Brasil

Onyx lidera uma comitiva presidencial à Amazônia para discutir o combate ao desmatamento e às queimadas ilegais e colher propostas para um plano de desenvolvimento sustentável da região. Ontem (2), em Belém, o grupo se reuniu com os governadores dos estados da parte oriental - Pará, Maranhão, Amapá, Tocantins e Mato Grosso. As reuniões deram seguimento ao encontro dos governadores com o presidente Bolsonaro, na semana passada, em Brasília .

Segundo o ministro da Casa Civil, nesta terça-feira, os governadores citaram, novamente, a regularização fundiária, o zoneamento econômico-ecológico (ZEE) e o desenvolvimento da economia verde como essenciais para um bom planejamento de políticas para a região. Eles pedem também que haja o monitoramento permanente dos focos de incêndios. De acordo com Onyx, em cerca de dez dias, o governo federal deve consolidar as propostas e apresentar um plano estruturado e estruturante para a amazônia brasileira.

"Um plano que consiga fazer com que a produção e a preservação possam andar de mão dadas, fazendo com que a gente preserve esse grande patrimônio que o Brasil tem, mas, por outro lado, que os 23 milhões de mulheres e homens da Amazônia tenham boas condições de vida, capacidade de se desenvolver produtivamente", disse Onyx.

Últimas Notícias

Ver mais
Lula participa de celebração do Dia do Exército em novo aceno aos militares
Brasil

Lula participa de celebração do Dia do Exército em novo aceno aos militares

Há 3 dias

Cresce o interesse por sistemas de defesa na América Latina, diz CEO da Indra
Mundo

Cresce o interesse por sistemas de defesa na América Latina, diz CEO da Indra

Há 4 dias

Bombeiros batalham pelo 2º dia contra incêndio no prédio da antiga Bolsa de Copenhague
Mundo

Bombeiros batalham pelo 2º dia contra incêndio no prédio da antiga Bolsa de Copenhague

Há 4 dias

Grande incêndio atinge o edifício da antiga bolsa de Copenhague
Mundo

Grande incêndio atinge o edifício da antiga bolsa de Copenhague

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais