Brasil

Missão com 12 brasileiros em Israel é surpreendida com ataque de drones iraniano

A programação da missão brasileira, que se estende até 17 de abril e inclui visitas a outras cidades israelenses, está mantida

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 14 de abril de 2024 às 11h39.

Uma missão com 12 brasileiros organizada pela Confederação Israelita do Brasil (Conib) que chegou a Jerusalém neste sábado, 13, para um relato da situação de Israel seis meses após o ataque terrorista do Hamas, de 7 de outubro de 2023, foi surpreendida com o lançamento de mísseis e drones iranianos contra o território israelense. Segundo o presidente da Conib, Claudio Lottenberg, todos estão em segurança.

"O governo informa que a situação está sob controle, e nós imaginamos que sim. A missão deve continuar. Reforço o espírito desta missão, que é dar apoio ao Estado de Israel nesta luta contra o mundo terrorista, mundo este também patrocinado pelo estado do Irã", disse Lottenberg.

A programação da missão brasileira, que se estende até 17 de abril e inclui visitas a outras cidades israelenses, está mantida.

Pessoas dirigem por uma rua em Jerusalém em 14 de abril de 2024. O ataque sem precedentes do Irã a Israel foi “frustrado”, anunciou o exército israelense em 14 de abril, com quase todos os mais de 200 mísseis e drones interceptados com a ajuda dos Estados Unidos. Estados e aliados. (Menahem Kahana/AFP)

A agenda de caráter humanitário inclui audiências com o presidente de Israel, Isaac Herzog, e com o ministro da Diáspora Amichai Chikli, entre outras autoridades e representantes de organizações da sociedade civil.

A comitiva irá se reunir também com familiares de vítimas e de reféns sequestrados pelo Hamas, além de percorrer alguns dos locais atacados em 7 de outubro de 2023.

Acompanhe tudo sobre:IsraelIrã - País

Mais de Brasil

Nível do Guaíba cai 17 cm em Porto Alegre e segue baixando

Adaptação das cidades à crise climática exige mudança de paradigma, dizem especialistas

Bairros, empreendimentos e cidades inteligentes

Enchentes no RS: mais de 76 mil pessoas estão em abrigos; 155 mortes e 94 desaparecidos

Mais na Exame