Brasil

Lula oferece Meio Ambiente para Tebet e tenta acertar dobradinha com Marina

Senadora do MDB disse que aceita o cargo desde que haja um acerto com a deputada da Rede

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de entrega do relatório final da transição de governo e anúncio de novos ministros. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de entrega do relatório final da transição de governo e anúncio de novos ministros. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

AO

Agência O Globo

Publicado em 23 de dezembro de 2022 às 13h34.

Última atualização em 23 de dezembro de 2022 às 14h09.

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ofereceu o Ministério do Meio Ambiente para a senadora Simone Tebet (MDB) em reunião nesta sexta-feira, em Brasília. A senadora disse que aceita o cargo, mas desde que haja um acerto com a deputada federal eleita Marina Silva (Rede-SP). A expectativa é que o petista converse com Marina às 14h.

A condição para Tebet virar ministra da pasta foi antecipada ontem pelo O Globo. A senadora já havia afirmado a interlocutores que toparia uma dobradinha com a deputada da Rede na autoridade climática, que deveria ter, na sua opinião, status de ministério para acomodar a aliada. A criação do órgão foi uma das condições da ex-ministra para apoiar Lula.

Tebet e Marina se tornaram amigas durante o segundo turno, e a senadora sempre negou aceitar um cargo também cobiçado pela ex-ministra. O cenário, porém, mudou nos últimos dias, após Lula indicar Wellington Dias (PT) para o Desenvolvimento Social, pasta de preferência de Tebet.

Também pesou para a senadora reconsiderar a possibilidade de fritura de Marina no PT e a pressão de empresários que apoiaram a terceira via e entendem que Tebet é um nome com mais interlocução com o mercado. A senadora recebeu uma série de ligações de nomes do mercado nos últimos dias.

Marina considera a autoridade climática uma função eminentemente técnica, e por isso já negou interesse em assumir a função. A aliados, a deputada da Rede vinha se mostrando animada em assumir o Ministério.

Plano B da Tebet

Ontem, em reunião com a cúpula do MDB, Lula disse que poderia oferecer também o Planejamento para a senadora, o que não aconteceu. À noite, a pessoas próximas, Tebet disse que não teria interesse na pasta, que considera técnica e de pouca ação política.

O MDB indicará ainda os ministros do Transportes e Cidades. O primeiro já tem um nome de consenso, o ex-governador de Alagoas Renan Filho. Mas o segundo está sendo alvo de disputa dentro do partido: embora tenha despontado como favorito, o deputado federal José Priante (PA) sofre a resistência do clã Barbalho. O governador reeleito Helder Barbalho (PA) se reunirá nesta sexta-feira com o líder do partido na Câmara, deputado Isnaldo Bulhões Jr (AL), para tentar chegar a um consenso. Caso a conversa não prospere, a pasta se viabilizaria como uma segunda opção para Tebet.

LEIA TAMBÉM: 

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaMarina SilvaSimone-Tebet

Mais de Brasil

Quem é Mello Araújo, anunciado como vice de Nunes em São Paulo

Lula anuncia R$ 194 milhões para construção de 1,3 mil casas no Piauí

Justiça Federal homologa acordo para preservação da Cinemateca

Nunes e Tarcísio confirmam ex-chefe da Rota indicado por Bolsonaro como vice

Mais na Exame